Últimos dias da Bienal de Curitiba 2017 no MON

A Bienal ocupa vários espaços expositivos do museu e segue até domingo

 

CHEN Wenling Floating Scenery 2017

 

O Museu Oscar Niemeyer (MON) encerra no próximo domingo, dia 25/02, as mostras da Bienal de Curitiba 2017 que estão em cartaz no espaço. A Bienal está instalada nas salas 1, 2, 3, 9 e Olho, além da torre do Olho, Espaço Araucária e área externa.

 

A Bienal de Curitiba é reconhecida como o maior evento de arte contemporânea da América do Sul e uma das principais mostras de arte do circuito mundial. Essa edição, com o título "Antípodas – Diverso e Reverso", homenageia a China.

 

Espaços e curadorias

O "Olho" e Espaço Araucária abrigam "Vibrations", com curadoria de Fan Dian, Fang Zhenning e Liu Chunfeng, com obras de 36 artistas chineses. Já o térreo da Torre do MON recebe a CAFAM Biennial (Central Academy of Fine Arts Museum) de Pequim, e o primeiro andar da Torre do museu expõe Shanghai Biennale, que trazem conteúdo sobre as Bienais Chinesas, com vídeos e outros materiais de divulgação, contando o histórico das edições e explicando o que são ambos os eventos.

 

Seguindo o conceito da Bienal, outras salas do museu exibem obras de artistas selecionados por diferentes curadores. A sala 1 tem curadoria de Tício Escobar (Paraguai), na sala 2, a curadoria é de Massimo Scaringella (Itália) junto com Marta Mestre (Portugal); o espaço entre as salas 3 e 6 tem curadoria de Tereza de Arruda (brasileira, há 30 anos em Berlim) e Massimo Scaringella (Roma, Itália) e, na sala 9, participam três curadores: Luiz Brugnera (Rio Grande do Sul), Tulio de Sagastizabal (Argentina) e Leonor Amarante (São Paulo).

 

O curador-chefe do MON, Agnaldo Farias, faz a curadoria da mostra de Juliana Stein, "Não está claro até que a noite caia", na sala 3. Além dos espaços internos, há obras no jardim externo e espelho dágua.

Conceito

O termo "Antípodas" refere-se a posições diametralmente opostas entre si. Nesta Bienal, este título foi escolhido para indicar metaforicamente pontos geográficos radicalmente distantes uns dos outros. A China, país homenageado desta bienal, marca um ponto extremo, especialmente em relação aos países latino-americanos. No entanto, a cultura, especialmente em suas manifestações artísticas, tem a possibilidade de criar vínculos e traçar diagramas entre os lugares mais distantes. A ideia de diversidade, um dos pontos centrais desta bienal, é reforçada por meio da vinculação de zonas e situações opostas que coincidem sem arriscar suas respectivas diferenças.



Serviço

Encerramento da Bienal de Curitiba 2017 no MON

Até 25 de fevereiro de 2018, domingo

Terça a domingo, das 10h às 18h

Ingresso: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Quarta Gratuita, das 10h às 18h

Retirada de ingressos: até 17h30

www.museuoscarniemeyer.org.br

Última atualização em Qui, 22 de Fevereiro de 2018 13:50
 

Alegra Foods e Madero juntos em nova campanha

Marcas se unem para mostrar a importância da qualidade das matérias-primas dos produtos e promover a solidariedade

imagem release 1202242Campanha terá divulgação em diversos tipos de veículos de comunicação do Brasil,
além de publicidade out of home (OOH) e mídias sociais - 
Agência Master Comunicação

A parceria entre a Alegra Foods e o restaurante Madero resultou em uma ação que, além de fortalecer ainda mais as marcas, com a garantia de produtos de qualidade, ajudará uma entidade beneficente da região dos Campos Gerais, no Paraná. No mês de fevereiro, a campanha “Falou em carne suína no Madero, falou Alegra” começa a ser veiculada em diversos veículos de comunicação de todo o Brasil, além de publicidade out of home (OOH) e mídias sociais.

“Entendemos que a Alegra atende todos os requisitos de sustentabilidade, qualidade e inovação, assim como o Madero, que tem as mesmas qualidades em seu DNA. São duas empresas que estão no mercado primando pela ética e pelo produto certificado. Por isso, optamos por deixar claro ao consumidor final a origem da carne suína oferecida pelo Madero, por meio desta campanha”, comenta o analista de marketing da Alegra Foods, Amauri Castro.

A ideia da campanha é fortalecer a união das duas marcas e mostrar que o bacon usado no famoso sanduíche Cheese Bacon Madero é fornecido pela Alegra, assim como a costela, o lombo e o pernil, também presentes no cardápio do restaurante.

Campanha de solidariedade

Uma outra ação dessa campanha ganha destaque pelo ato solidário promovido pelas empresas. O valor do cachê pelo uso da imagem do chef Junior Durski será totalmente revertido para uma instituição de caridade. “Estamos analisando a instituição e estudando a possibilidade de fazer a entrega em melhorias de infraestrutura, com uma visão de permanência e acompanhamento do benefício”, declara Castro.


Sobre a Alegra Foods

Alegra Foods é a união das cooperativas de origem holandesa, Frísia, Castrolanda e Capal, que constituem o grupo Unium. Uma empresa que combina condições de trabalho ideais aliando tecnologia, equipamentos de última geração, preocupação com o bem-estar dos animais e sustentabilidade em seu parque industrial, sempre primando pela excelência em seu produto final.

Em 2016, a marca conquistou o reconhecimento internacional quanto às Práticas de Bem-estar Animal no abate, tornando-se a primeira planta brasileira a receber essa certificação em bem-estar suíno, pela WQS. Mais informações em www.alegrafoods.com.br.

Última atualização em Seg, 19 de Fevereiro de 2018 13:36
 

Histerectomia não é a primeira alternativa para a endometriose

endometriose materia art medicinaImagem da internet

 

A endometriose é uma doença complexa em todos os seus aspectos, pois a ciência ainda não identificou com precisão, as causas de sua manifestação e a sociedade como um todo, ainda não a conhece, como deveria. São muito frequentes as queixas de mulheres que sofrem dores terríveis no período menstrual desde muito jovens, mas cujas dores são consideradas "normais" ou sublimadas diante de uma consulta ao ginecologista, tanto pelas pacientes e às vezes, por seus médicos.

Hoje o mundo das celebridades repercutiu a história da atriz Lena Dunham, criadora e protagonista da série "Girls", no auge de seus trinta e poucos anos, ao anunciar que foi submetida a uma histerectomia, a retirada do útero,  porque sofria de endometriose. A parte boa dessa notícia de celebridades é que as pessoas pararam para saber mais a respeito dessa doença. "A parte ruim é saber que uma mulher jovem tornou-se infértil em decorrência desta doença", lamenta Dr. Fábio Ohara, médico que faz parte da equipe de atendimento do Núcleo PróEndometriose."Trata-se de uma situação de exceção, me parece, pois hoje temos uma série de outros procedimentos antes de chegar a essa etapa. O DIU – dispositivo intrauterino, é uma das opções de tratamento. Há medicações como anticoncepcionais de uso oral e  medicamentos que suspendem a menstruação. Esses procedimentos são avaliados caso a caso para que não se chegue a esse extremo", conclui Dr. Fábio.

O tratamento da doença pode ser feito preservando a fertilidade da mulher. A cirurgia minimamente invasiva, que é praticada pelos melhores especialistas do segmento, no Brasil e no mundo, já detém avanços significativos para deter as consequências da doença, bem como melhorar as condições de saúde da mulher. A fertilidade preservada faz parte do conjunto de respostas às terapias mais modernas.

Sobre o Núcleo PróEndometriose (NPE)

O diagnóstico precoce da endometriose e o acesso a exames específicos para a identificação da doença são o propósito do NPE, bem como atendimento cirúrgico qualificado, quando for necessário. A clínica conta com uma equipe multidisciplinar composta por ginecologistas, cirurgião do trato gastrointestinal, nutricionista, fisioterapeutas e psicólogo. Todos provêm da Santa Casa de São Paulo. A clínica, referência no diagnóstico e tratamento da endometriose do Hospital Santa Isabel, tem condições de atender pacientes de forma privada, mas adotando uma tabela de preços em consultas e exames bem acessível. Exames de imagem também poderão ser realizados na clínica, para conveniência das pacientes e agilidade dos procedimentos.

Fazem parte do Corpo Clínico do NPE o Dr. Fábio Ohara, Especialista em Endoscopia Ginecológica pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), Dra. Fernanda de Almeida Asencio, Especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Febrasgo e Especialista em Endoscopia Ginecológica (Videolaparoscopia e Histeroscopia), Dra. Anna Luiza Lobão, especialista em Ginecologia e Obstetrícia, com ênfase em Endometriose e Endoscopia Ginecológica, e Dra. Aline Estefanes Eras, Mestra em Pesquisa em Cirurgia pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

http://nucleoproendometriose.com.br

Última atualização em Qui, 15 de Fevereiro de 2018 15:59
 

Navio Chilli Beans 2018 contou com a presença de celebridades

331144 766249 superdose 183Navio Chilli Beans 2018 - Superdose Giovanna Ewbank 
(Crédito: Luccianna Ferreira)

Mais uma edição do Navio Chilli Beans chega ao fim. A bordo do navio Costa Favolosa, que partiu no último domingo do Porto de Santos com lotação máxima, o evento contou com a presença de celebridades, convidados especiais, além de moda, arte, música e muita pimenta. 

Na primeira noite o DJ e produtor brasileiro de música eletrônica, Vintage Culture, fez todo mundo dançar e cantar, animando o público presente durante o show em alto mar. Na convenção da Chilli Beans, a Superdose, nomes como Caio Castro, Felipe Titto, Giovanna Ewbank e Giovanna Lancellotti marcaram presença. Pabllo Vittar também se apresentou no evento da marca e encerrou o último dia no cruzeiro com um show que aconteceu simultaneamente ao desfile da Amapô. 

Um dos workshops realizado durante a programação do navio falou sobre o futuro da moda e contou com a presença de grandes nomes do cenário brasileiro como Paulo Borges, Pitty (Amapô), Caito Maia, Amir Slama, Marcelo Sommer, Dudu Bertholini, Mario Queiroz e Thais Gusmão. 

331144 766248 superdose 119Navio Chilli Beans 2018 - Superdose Caio Castro e Giovanna Lancelotti 
(Crédito: Luccianna Ferreira)

331144 766239 fashion talks 3
Navio Chilli Beans 2018 - Superdose Caio Castro e Giovanna Lancelotti 
(Crédito: Luccianna Ferreira)

Para saber mais sobre o Navio Chilli Beans e os outros eventos da marca, acompanhe @chillibeansoficial. 

#NavioChilliBeans
#euacredito

SAC Chilli Beans 0300 555 0300
Facebook: facebook/ChilliBeansBR
Instagram: @chillibeansoficial
www.chillibeans.com.br

Sobre a Chilli Beans
A Chilli Beans iniciou suas atividades no final dos anos 90, sob o comando do empresário Caito Maia. Vinte anos depois, se consolida como a maior rede especializada em óculos escuros da América Latina. A empresa tem mais de 700 pontos de venda, incluindo Brasil, Portugal, Estados Unidos, Colômbia, Kuwait, Peru, Chile, México, Tailândia e Caribe. 

Tendo o fast fashion como plataforma de negócios, com lançamentos de 10 novos modelos por semana, a Chilli Beans foi pioneira no conceito de ótica self service, que permite ao cliente manusear e experimentar os produtos, e também a primeira marca do segmento a inaugurar uma máquina de customização, que permite que o cliente fabrique seus próprios óculos. Recentemente, Caito Maia, presidente da Chilli Beans, contou a história de sucesso da marca na Harvard Business School.

Última atualização em Qua, 14 de Fevereiro de 2018 14:18
 

Smartphone - Vício digital e o impacto no mundo do trabalho

Resultado de imagem para gif Vício digital e o impacto no mundo do trabalho

Eles têm muita intimidade com a tecnologia, dedicam interesse e energia aos jogos eletrônicos, mostram-se impacientes e muitas vezes estressados com desafios profissionais e/ou educacionais que exigem cautela e reflexão. Vencer as dificuldades do mundo virtual consome boa parcela de tempo, atenção e vontade desses jovens, construindo uma nova maneira de ver e conviver com o real a sua volta.

Identificar e refletir sobre essas características, tão comum aos jovens das novas gerações faz-se necessárias, pois já tem tomado contornos preocupantes. Recentemente, a OMS (organização Mundial da Saúde) considerou o vício em vídeo games, por exemplo, como distúrbio mental. Esse panorama tem contribuído para que o jovem atual assuma sua preparação de modo diferente das gerações anteriores, encurtando o seu horizonte de meta, definindo a compreensão distorcida sobre como fixar o alvo, e dificultando sua percepção das diferenças entre o virtual e o real.

Com a cautela necessária, pois nem todos os jovens reagem assim, o fato é que uma parcela deles é avessa a ações que tenham resultados demorados. Seu modo de ver a evolução envolve a pressa. As redes sociais contribuem com as noticias instantâneas, onde tudo tem de ocorrer rápido, "senão perco o interesse"; com o celular, que nos alcança em qualquer lugar, bem mais veloz em sua ação de modificar os costumes.

Resultado de imagem para gif Vício digital e o impacto no mundo do trabalho


A visão do jovem desse século está sendo formatada em bases enganosas, e a questão é que não oferece a sólida condição psicológica e emocional para ele entender e atuar no ambiente corporativo. Esse universo, que se utiliza da tecnologia com carga total, se movimenta, no entanto, a partir de condutas bem diferentes daquelas que o jovem, em geral, aprendeu em casa, protegida pelas compensações dadas pelos pais, e com os videogames, com suas fases avançando velozmente.

As condições domésticas não serão oferecidas e esses jovens no meio empresarial, apesar de já haver flexibilidade nos comportamentos exigidos, em parte das empresas de TI ou aquelas com soluções alternativas de atuação. Contudo, o mercado de trabalho não é constituído somente por empresas de tecnologia, e é por isso que as outras empresas se empenham tanto em compreender o que mais atraí e retém esses componentes da era digital, e como tirar o máximo de seu talento, mas, esperando que o jovem atual também faça a sua parte.


Ruy Leal É formado em Publicidade, Propaganda e Marketing pela FAAP, cursos de especialização em direção de marketing pela FGV SP, economia pela FIPE USP e MBA em Marketing de Serviços pela ESPM. Foi Diretor da APARH DF e Conselheiro da APARH SP. Atua há mais de 30 anos no trabalho de capacitação de jovens para o ingresso no mercado de trabalho e na orientação de profissionais de Recursos Humanos e educadores sobre programas de estágios, coaching e mentoring. Com obras publicadas em diversos países, é autor dos livros "Jovens que entram e dão certo no mercado de trabalho", "Superdicas para empreender seu próprio negócio", "Superdicas para o Jovem Escolher Bem sua Profissão" e "Jovens Digitais". Atualmente é Superintendente Geral do Instituto Via de Acesso, organização da Sociedade Civil de caráter sócio-educacional e de assistência social de Interesse Público.

Última atualização em Seg, 05 de Fevereiro de 2018 15:13
 

Pele: Hiperidrose incomoda mais no verão

Já os exercícios físicos não acentuam o desconforto neste período ano, pois a prática de atividade física diminui a intensidade do suor quando a pessoa está em repouso

Imagem relacionada

O suor excessivo, característica da hiperidrose, incomoda demais no verão e pode ser   um bom motivo para procurar um especialista. A função do suor é baixar a temperatura corporal. Todas as pessoas suam, porém, quem sofre de hiperidrose produz suor acima do normal e, por consequência, tem este sintoma acentuado nos períodos mais quentes. “Os pacientes se queixam mais no verão, pois o calor estimula mais o suor, apesar que no inverno a hiperidrose também se manifesta”, explica o cirurgião torácico Marcos Chesi.

Embora pareça um paradoxo, o ideal é que as pessoas com hiperidrose não deixem de praticar exercícios no verão. Chesi não recomenda evitar as academias neste período do ano e aponta dois fatores: a atividade física é saudável em todos os sentidos e pode diminuir o suor quando a pessoa está em repouso. Aevaporação do suor diminui a temperatura corporal. “A atividade física ajuda a pessoa que se incomoda com o suor excessivo”, constata o médico.

IMG 0778aHiperidrose nas mãos

 

Hiperidrose

O suor excessivo pode ocorrer no corpo todo ou em pontos localizados como mãos e axilas, pés e na cabeça. Os nervos que estimulam as glândulas do suor na cabeça, axilas e mãos estão no tórax, por isso o cirurgião torácico está habilitado a diagnosticar e indicar o melhor tratamento para a hiperidrose.

A cirurgia tem 98% de chances de deter a hiperidrose, mas nem todos podem se submeter à intervenção. O procedimento é recomendado em casos específicos, após avaliação médica, quando o excesso de suor é bem localizado, e outras alterações no organismo são descartadas. Chesi explica que hoje a cirurgia é mais seletiva no bloqueio do estímulo ao suor. “Isso diminui bastante a chance do paciente ter suor compensatório que é mais intenso no verão”, avisa.

Além da cirurgia, existem outros tratamentos que vão da medicação aos cremes, passando ainda pela toxina botulínica conhecida como botox. Esses tratamentos têm ação local sobre a glândula do suor e são temporários. A toxina botulínica, por exemplo, detém a hiperidrose de seis a oito meses. “Toda pessoa que se incomoda com seu suor deve procurar um médico de confiança para uma avaliação”, afirma Chesi.

Última atualização em Qui, 25 de Janeiro de 2018 15:39
 


Página 1 de 22
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.