Brigar por dinheiro vale a pena?

Quando falamos de finanças para casais, é importante cuidado para evitar brigas, o que é muito comum. Hoje em minhas consultorias percebo que para grande parte dos casais ocorre o desconhecimento do valor do salário do companheiro ou mesmo de como esses gasta tais valores. 

 

Essa informação é bastante preocupante, já que demonstra uma grande possibilidade de problemas relacionados ao dinheiro no futuro. Isso porque, a primeira dica em relação ao tratamento do dinheiro do casal é sempre muito diálogo, mas isso também não ocorre.

 

Mas, qual a saída? O mais adequado é construir um orçamento familiar baseados nos sonhos e objetivos da família. Também é muito importante que ocorra o quanto antes a definição de regras financeiras a serem seguidas, como quem paga o quê. Contudo, essas regras devem ser alvos de constantes reavaliações.

 

Para o casal, algumas questões se mostram fundamentais, como a questão de como dará a divisão das contas. É possível ter uma conta conjunta para que esses compromissos sejam pagos. Porém, acredito que seja interessante avaliar a possibilidade de cada um ter sua conta corrente, definindo os limites, pois cada um pode ter seus próprios gastos.

 

Já, quando o assunto é investimento, esse deve ser feito em conjunto, pois, assim, se poupa mais dinheiro e obtém melhores resultados. Só tratando de forma diferenciada a questão da aposentadoria, já que esse investimento deve ser separado para cada um, lembrando que, quem não construir sua aposentadoria, um dia, terá que pedir dinheiro para alguém, certo?  

 

O segredo, então, é colocar tudo na mesa, nunca esquecendo que o assunto mais importante a ser conversado não são as despesas, e sim os sonhos e desejos individuais e coletivos. É muito comum os sonhos serem deixados de lado, mas, acredite, esse é um erro capital de milhões de casais.

É importante estar atento, colocando sempre, no mínimo, três sonhos – curto (até um ano), médio (de um a dez) e longo prazo (acima de dez anos) –, todos acompanhados de informações básicas, como quanto custa e quanto será guardado mensalmente. Caso contrário, não serão sonhos, e sim verdadeiros pesadelos para os casais, podendo "esfriar o relacionamento".

Dinheiro e amor combinam? 

 
É preciso reforçar que, mesmo tendo contas separadas, quando se opta pelo casamento, é preciso não discriminar quem ganha mais ou menos. Trata-se de uma família e, neste caso, a receita deve ser pensada e somada para todos que dela participam. Assim, se deve definir um limite de gasto para cada um e fazer com que ele seja respeitado. Caso isso não ocorra, deverá ser motivo de diálogo.

Veja algumas orientações:

1.    Recomendo reuniões frequentes entre o casal para debater as finanças, porém, diferente do que ocorre frequentemente, esse não deve ser um momento apenas de tensão, mas sim de projeção;


2.    Estabeleçam sempre sonhos de curto, médio e longo prazos, lembrando que se deve ter objetivos coletivos e individuais;


3.    Um ponto que geralmente é foco de divergências é o padrão de vida que ocasal leva, assim, faça um diagnóstico financeiro e, com os números reais da vida financeira, ajuste o padrão dentro dessa lógica;


4.    Outro motivo de briga é o fato de um dos parceiros ser mais acomodado. É importante entender que cada um possui um estilo, assim, recomendo a busca de um meio termo, com regras bem estabelecidas e não ficar batendo sempre na mesma tecla;


5.    O ponto fundamental é que, quando só um dos parceiros trabalha externo, também deve se ter a preocupação com a vida financeira em longo prazo, no caso aposentadoria;


6.    Caso tenham filhos, é preciso inclui-los na conversa sobre dinheiro e, mais do que isso, também devem chegar a um acordo sobre como será a educação deles em relação às finanças;


7.    Se um dos parceiros fez alguma ação errada em relação ao dinheiro, lógico que haverá um nervosismo inicial, por isso, tente deixar o debate para um momento no qual já conseguiu se acalmar um pouco e refletir sobre o ocorrido. Contudo, não finja que nada ocorreu, guardar pode causar "estouros" futuros;


8.    Lembrem-se, é nas dificuldades que vemos com quem realmente podemos contar. Assim, em caso de crise financeira, em vez do distanciamento, o ideal é buscar estar mais perto de quem gostamos.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), autor dos livros Terapia Financeira, Mesada não é só dinheiro, Eu mereço ter dinheiro, Livre-se das Dívidas, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, das coleções infantis O Menino do Dinheiro e O Menino e o Dinheiro, além da coleção didática de educação financeira para o Ensino Básico, adotada em diversas escolas do país.

Última atualização em Qui, 19 de Abril de 2018 12:00
 

Casos de demência triplicarão até 2050

                                         Demência - foto ilustrativa

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que o número de casos de demência triplique até 2050, atingindo mais de 152 milhões pessoas ao redor do globo. Tal aumento deve-se ao envelhecimento populacional e continuará a atingir principalmente países de baixa e média renda. Para abordar o tema com mais profundidade, especialistas em diagnóstico por imagem vão se reunir em São Paulo/SP, a fim de apresentar e debater o que há de mais recente e avançado sobre tratamento e detecção da doença, durante a 48ª Jornada Paulista de Radiologia, de 3 a 6 de maio.

A Jornada Paulista de Radiologia reunirá especialistas internacionais para discutir a imaginologia da demência. O Dr. Marcelo Gálvez, presidente da Sociedade Chilena de Radiologia, e a Dra. Noriko Salamon, professora do Departamento de Radiologia da UCLA David Geffen School of Medicine, participarão do módulo de Neurorradiologia.

Demência é um "termo guarda-chuva" para denominar diversas doenças que afetam progressivamente, em sua maioria, a memória, o comportamento e as habilidades cognitivas. A mais comum é o Alzheimer, aparente em quase 70% dos diagnósticos. A Dra. Claudia da Costa Leite, professora associada do Departamento de Radiologia e Oncologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, é uma das palestrantes e destaca os problemas para a detecção precoce dessas doenças neurodegenerativas:

"Na doença de Alzheimer, por exemplo, os achados de ressonância magnética (RM) só aparecem em fases tardias. Contudo, procedimentos diagnósticos da medicina nuclear são bastante promissores, a partir do uso de novo marcador: o Pittsburgh compound B (PIB)", afirma.

O PIB foi desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Pittsburgh que visavam fornecer ferramentas para um diagnóstico precoce e definitivo. O Alzheimer é patologicamente caracterizado pela presença de placas amilóides contendo amilóide-beta (Aβ) e emaranhados neurofibrilares. Desta forma, o PIB, que é derivado da tioflavina-T (ThT), molécula capaz de ligar-se a proteínas amiloides, é utilizado junto à tomografia por emissão de pósitrons (PET), permitindo detectar a doença pré-clinicamente em pessoas com sintomas leves ou atípicos.
No Brasil, porém, os pacientes ainda não podem contar com acesso a essa tecnologia, como adianta Leite. "Apesar de termos condições iguais às dos países desenvolvidos quando falamos da ressonância magnética, na medicina nuclear, o PIB ainda não é comercializado no País".

Acesso a mecanismos de diagnóstico é inclusive outra preocupação da OMS, já que apenas 14% dos países que fornecem dados sobre demência indicam o número de pessoas que sofrem com o problema. Além disso, estima-se que aproximadamente 90% das pessoas que tenham algum tipo de demência em países de baixa e média renda não saibam desta condição.

Maior evento de Radiologia da América Latina

A Jornada Paulista de Radiologia (JPR 2018) é o maior evento da especialidade na América Latina. Organizada pela Sociedade Paulista de Radiologia (SPR), acontece em São Paulo, de 3 a 6 de maio. Sua 48ª edição é promovida em parceria com a Sociedade Radiológica da América do Norte (RSNA), sob o mote "Transformando a Educação na Radiologia".

48ª Jornada Paulista de Radiologia
Data: 3 a 6 de maio de 2018
Local: Transamerica Expo Center
Endereço: Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 - Santo Amaro, São Paulo/SP
Mais informações: www.jpr2018.org.br
 
Sociedade Paulista de Radiologia
A Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem foi fundada em 3 de março de 1968, na cidade de Jaú, interior de São Paulo. Atualmente, a instituição congrega mais de seis mil associados. Integrada ao Departamento de Diagnóstico por Imagem da Associação Paulista de Medicina (APM) e filiada ao Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR), a SPR, representada pelos seus presidentes, tem se dedicado ao longo desses anos especialmente à defesa dos radiologistas, ao desenvolvimento científico e a dinamização da especialidade.

Última atualização em Qua, 18 de Abril de 2018 08:06
 

Neta de Audrey Hepburn ao Brasil

Emma Ferrer, neta da inesquecível Audrey Hepburn

 

 

A estilista Raquel Davidowicz, da UMA, prepara grandes novidades para a 45ª edição da São Paulo Fashion Week. Além de apresentar suas apostas para o Outono Inverno 18, Raquel terá como convidada especial Emma Ferrer, neta da inesquecível Audrey Hepburn. 

 

A amizade entre Raquel e Emma não é de agora. “Tudo começou em Nova York, quando nosso querido amigo Geová Rodrigues (estilista brasileiro) nos apresentou. Eu participei de um vídeo feito por ele na época da New York Fashion Week, e nele usei peças da UMA. Fiquei encantada”, conta Emma.  Recentemente Raquel foi convidada por Emma para participar da Ideas Get Dressed, exposição realizada em Nova York na Sapar Contemporary. A mostra reúne croquis de artistas importantes da moda internacional como Manolo Blahnik e Zac Posen. 

 

Esta será a primeira vez de Emma Ferrer no Brasil, e ela se diz bastante empolgada com a oportunidade. “Eu nunca fui ao Brasil antes. Estou mais do que animada. Conheço muitas pessoas maravilhosas, apaixonadas e altamente criativas do Brasil. É uma população de artistas e grandes pensadores, por isso estou muito feliz em poder conhecer mais sobre o País e ouvir tudo sobre as ideias e os planos das pessoas para o futuro”. 

 

Emma também exerce um importante papel social com refugiados como embaixadora da ONU (Organização das Nações Unidas).  “Eu morava entre os Estados Unidos e a Europa quando me envolvi na causa. Em parte, sinto o quanto essa causa é importante pelo o que aprendi em minha família e do que foi transmitido através das gerações em ambos os lados de minha família. Não apenas pela minha avó paterna, Audrey Hepburn, mas também pelo lado da minha mãe, que foi enfermeira na Índia durante os tempos coloniais. Caridade, misericórdia e cuidado com os outros é algo que sempre ensinei e sempre é uma natureza primária para mim. Tudo o que precisamos é que as pessoas tomem a decisão de fazê-lo, e o resto se encaixa quase sem esforço. Acredito piamente que as coisas que serão feitas acontecerão com facilidade e fluidez, e esse certamente tem sido o caso para mim e minha embaixada com os Estados Unidos para o ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), bem como com meus outros relacionamentos com organizações como a UNICEF.

 

No Brasil, além de assistir ao desfile da UMA|Raquel Davidowicz na São Paulo Fashion Week, Emma Ferrer também participará de algumas ações internas com a marca.

 

emma ferrer rep2

Emma Ferrer (Foto: Reprodução)

 

original

Audrey Hepburn

Última atualização em Seg, 16 de Abril de 2018 18:12
 

Plateia atenta, adesão foi intensa

Wagner Ebrahim e Alfredo Ibiapina

 

Mais de 80 pessoas, entre pilotos, mecânicos e fotógrafos participaram ontem (09.04) da Confraternização da Copa Super Paraná. O que eles não esperavam, é que estavam presentes em uma noite que marcaria para sempre o futuro do kart paranaense no Estado.

 

Logo depois do bom papo, todos foram chamados ao auditório do evento, para uma prestação de contas da 1ª etapa da Copa Super Paraná. O assunto foi conduzido pelo presidente da APK - Associação Paranaense de Pilotos de Kart de Curitiba e Região Metropolitana,  Alfredo Ibiapina e pelo vice-presidente, Wagner Ebrahim. Todos os números foram apresentados e dessa matemática a dupla de dirigentes da Associação conduziu a reunião de forma a explicar a todos os presentes a necessidade de se filiarem à Associação. 

 

 

“Uma APK forte é nosso objetivo, unidos somos mais representativos, ganhamos voz até na CBA”, salientou Ibiapina, defendendo que é melhor investir em uma associação forte e ter um campeonato bem estruturado como já é a Copa Super Paraná, do que viajar para correr fora.  Argumentos em prol da filiação não faltaram, nem defesa do tema por pilotos mais experientes, como Manoel Queiroz, com trajetória vencedora no esporte, que chegou a dizer que apenas se filiar é pouco, “que cada um ainda tem que fazer mais um pouco pelo esporte”.

 

Ao final da reunião, depois de 1h30 de conversa produtiva, a adesão foi intensa. Rápido, o primeiro a se filiar foi Roberto Margeon, que comemorou com foto e sinal de “pole”. Outros 40 pilotos, mecânicos e fotógrafos assinaram sua ficha de filiação no local mesmo. Todos acreditando que daquela reunião nasce um novo momento do kart paranaense.

 

 

A partir de agora a APK vai procurar pessoalmente os pilotos que não estiveram presentes para apresentar o projeto, com intenção que também se filiem. “É necessário que todos acreditem, só assim podemos chegar aos 100 filiados e quem sabe até fundar nossa própria Liga”, salientou Wagner Ebrahim.

Última atualização em Sex, 13 de Abril de 2018 15:41
 

A verdade é sempre melhor do que a ilusão

Nenhuma ilusão dura para sempre e, por isso, a verdade é sempre o melhor caminho. A frase é de Camilla Couto, orientadora emocional para mulheres, com foco em relacionamentos, fundadora do Blog das Amarildas e criadora do PAR – Programa Amarildas de Relacionamentos. Para ela, uma verdade, mesmo que doída, é melhor do que uma ilusão. Camilla explica: “muitas mulheres vivem uma situação corriqueira: conhecer alguém novo e imediatamente passar a olhar tal pessoa com os próprios olhos, montando uma personagem que não é real, mas totalmente feita de expectativas.

Ela enfatiza: “você olha para o outro, mas não consegue enxergar exatamente que ele é, pois enxerga apenas seus próprios desejos, sua carência, e sua idealização de parceiro. Dessa forma, passa a viver uma ilusão, afirmando para si mesma que esse alguém é exatamente quem você vem esperando conhecer há anos e que, incrivelmente, ele está tão a fim dessa relação quanto você – sem avaliar e até sem enxergar exatamente a forma como ele age, quem de fato é, e o que realmente sente”. Segundo a orientadora, o maior perigo desse tipo de comportamento é criar expectativas demais e se machucar constantemente, toda vez que perceber a realidade.

Camilla lembra: “isso normalmente acontece quando o outro vai embora, deixa de atender, ou simplesmente fala a verdade. O choque da realidade com a ilusão criada é cruel. Mas, veja bem, existe nisso um aprendizado incrível: nada e ninguém é como nós imaginamos, as coisas e as pessoas simplesmente são como são. E quando paramos de idealizar, passamos a compreender as situações e as pessoas, aprender com elas. Isso é amadurecimento”.

“A vida não é um conto de fadas, embora tenha momentos incríveis de felicidade e conexão”, enfatiza Camilla. Segundo ela, quanto mais estamos despertas para a verdade, mais esses momentos aparecem. O problema é que, na maioria das vezes, estamos tão focadas no sonho, na idealização, que inclusive nos privamos de enxergar a beleza dos momentos mais simples. Entender essa dinâmica, para ela, ajuda a abrir o coração e aumenta as oportunidades tanto de conhecer novas pessoas, quanto de aceitar aquelas que conhecemos como são. Um passo de cada vez, cada verdade doída sendo compreendida a seu tempo, e logo as expectativas serão substituídas por fantásticas experiências.

Saiba mais: www.amarildas.com.br

Sobre Camilla Couto

Camilla Couto é Orientadora Emocional para Mulheres, com foco em Relacionamentos. Criadora/ autora do Blog das Amarildas e fundadora do PAR - Programa Amarildas de Relacionamentos. Orientadora emocional, Terapeuta Floral (TF-153-17/SP) e Contoterapeuta, viveu durante 8 anos no exterior conhecendo diferentes culturas e comportamentos. No blog amarildas.com.br, compartilha seus estudos sobre amor, relacionamentos e dependência emocional - com o propósito de promover mais entendimento sobre esses temas e de incentivar as mulheres a se amarem e valorizarem cada vez mais.

 

Fonte: Amarildas Blog

 

Voce sabe o que é sick-lit ?

O gênero Sick-lit, que em tradução literal significa "literatura doente", tornou-se um fenômeno nos últimos tempos. Trata-se de livros em que os personagens (sobretudo protagonistas) sofrem de doenças ou transtornos mentais e físicos, e o público-alvo costuma ser jovem. Sem dúvida, a Sick-lit é alvo de questionamentos acerca de sua influência no leitor, que é exposto a temas como depressão, suicídio, doenças terminais e outros assuntos que mexem até com os mais durões.

Entretanto, mesmo que muitos se perguntem se é bom ou ruim esse tipo de leitura pelo impacto emocional, é fato que livros são pontes para diversos mundos e para o ensino de como se colocar no lugar do outro. É o caso da obra de Ana Beatriz Brandão, autora de "A Garota das Sapatilhas Brancas" (spin off de "O Garoto do Cachecol Vermelho"), um romance de tirar o fôlego e muitas lágrimas dos leitores.

A história é protagonizada por Daniel, um jovem portador de Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença rara e sem cura, e Melissa, uma bailarina de forte temperamento. Essa combinação é fonte de ensinamentos principalmente para Melissa, que passa a conviver com Daniel e a mudar, com influência do coração grandioso do garoto. A autora da obra, que tem apenas 18 anos e mais de 20 livros escritos, já entrou para a lista da Veja dos mais vendidos. Além de abordar a doença em suas obras, Ana também doa parte de seus direitos autorais para instituições relacionadas à ELA.

Última atualização em Qua, 04 de Abril de 2018 08:26
 


Página 1 de 40
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.