CIRCO IMPERIAL DA CHINA – Turnê "On Ice – O Mundo da Imaginação"

Suas estrelas vêm do outro lado do mundo. Chegam à escola ainda crianças, passam dez anos se preparando e, só então, pisam nos palcos para mostrar acrobacias, danças, equilibrismo e contorcionismo, em performances que parecem desafiar a gravidade. Conhecidos no mundo todo por sua grandiosidade e beleza, o Circo Imperial da China volta ao Brasil com a turnê do seu mais novo espetáculo "On Ice - O Mundo da Imaginação", que traz um desafio ainda maior: acrobatas e bailarinos vão se apresentar em uma pista de gelo. Com realização da Like Entretenimento,  a trupe passa por Curitiba, entre quinta (14) e domingo (17) para curta temporada de apresentações no palco do Teatro Positivo – Grande Auditório (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300). As sessões acontecem na quinta (14) às 20h30, na sexta (15) às 21h, no sábado (16), às 18h e 21h15, e no domingo (17), às 17h e 20h15.

 

Os ingressos estão disponíveis e variam de R$60,00 (meia-entrada) a R$290,00 (inteira), de acordo com o setor. Plateia A - R$290,00 (inteira) e R$150,00 (meia-entrada) / Plateia B - R$250,00 (inteira) e R$130,00 (meia-entrada)/ Plateia C - R$210,00 (inteira) e R$110,00 (meia-entrada)/ Plateia D - R$170,00 (inteira) e R$90,00 (meia-entrada)/ Plateia E - R$150,00 (inteira) e R$80,00 (meia-entrada)/ Plateia F - R$110,00 (inteira) e R$60,00 (meia-entrada). A meia-entrada é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue e portadores de necessidades especiais (PNE) e de câncer.  Portadores do cartão fidelidade Disk Ingressos possuem 50% de desconto na compra de até dois bilhetes por titular. PROMO COMBO FAMÍLIA– Na compra de 3 ingressos no valor da entrada inteira ou meia-entrada, o cliente ganha mais um no mesmo setor. Promoções não cumulativas com descontos previstos por Lei. ***Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio.****Já está incluso o valor de R$10,00 de acréscimo por bilhete referente à taxa de administração Disk Ingressos. É obrigatória a apresentação do documento previsto em lei que comprove a condição do beneficiário, na compra do ingresso e na entrada do teatro. Os ingressos podem ser adquiridos através do Disk Ingressos (Loja Palladium - de segunda a sexta, das 11h às 23h, aos sábados, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h, -  e quiosques instalados nos shoppings Mueller, Estação e São José de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h)Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22h, e aos domingos, das 9h às 18h), na bilheteria do teatro Positivo (de segunda a sexta, das 9h às 21h, e aos sábados, das 9hs às 18hs) e pelo portal www.diskingressos.com.br.

Mais sobre "Circo da China On Ice – O Mundo da Imaginação"

Os mais habilidosos acrobatas, dançarinos e contorcionistas da China, chegarão ao Brasil com a importante missão de garantir a emoção e o êxtase com uma história calorosa e emocional. Uma produção totalmente nova, realizada no gelo com um grau de dificuldade ainda maior, ambientada no mundo encantado, que alia técnicas tradicionais com sonoridade percussiva e efeitos visuais. Usando a imaginação, que desafia as leis da gravidade, o elenco formado por mais de 30 integrantes do Circo Imperial da China não mede esforços quando se trata de impressionar os fãs com rotinas de tirar o fôlego.


Os artistas do Circo Imperial da China dedicam suas vidas ao desempenho. Todos os shows são uma combinação de habilidades autênticas e o melhor de todas as modalidades acrobáticas. Suas habilidades são ainda mais únicas porque  seus corpos interagem excelentes adereços e fantasias coloridas. "On Ice – O Mundo da Imaginação" será uma experiência única e tem 1h35 de duração. Não há truques e nada é falso. Os artistas realizam todas as rotinas, enquanto o público olha para eles com espanto - porque  reconhecem o melhor quando o veem.

A apresentação acompanha Menina da Onda, que é levada pelo Vovô do Vento Norte para voar pelo céu, posteriormente se tornando a Fada de Cristal. Seu irmão, Diabing, a ensina a patinar e fazer um boneco de neve. Ao longo da história, ela passeia por ambientes coloridos, compostos por elementos inusitados como estrelas do mar, algas flutuantes e sereias.

Em um dos momentos, o Reino do Gelo e da Neve comemora uma grande cerimônia, que inclui uma carruagem flutuante. O espetáculo ainda consegue agregar personagens como Príncipe, Princesa, Peter Pan e Pinocchio. Eles entram no em enredo em diferentes cenários, iluminações e figurinos marcantes.


Assistir a este espetáculo será uma experiência única. O Circo Imperial da China já recebeu três medalhas de ouro no Festival Mondial du Cirque de Demain, em Paris, e é um dos espetáculos de maior sucesso de público e crítica no mundo.

A HISTÓRIA DAS ARTES DO CIRCO CHINÊS
A tradição do circo chinês teve início há mais de dois mil anos no Período dos Estados Combatentes. Artistas chineses, acrobatas e contorcionistas são claramente reconhecidos em artefatos antigos já nas dinastias Qin e Han (221 aC - 220 aD). Os registros históricos, as relíquias antigas, as esculturas em relevo em túmulos, pedra e tijolos, murais em templos e grutas e padrões decorativos em utensílios mostram que durante séculos o público ficou fascinado com as performances deslumbrantes de artistas chineses, acrobacias e circo.

Embora muitos tipos de números acrobáticos existiram durante a Dinastia Ch'in (255-207 aC), foi a Dinastia Han que viu a forma de arte alcançar novos níveis e se tornar uma forma popular de entretenimento. A maioria dos grupos foram formados ao longo de linhas familiares e desenvolveram habilidades e rotinas que, com algumas alterações, são realizadas até hoje. Conhecido como o "Pai Hsi" ou os "Cem Atos", durante este período o circo evoluiu para um longo show com grande variedade de números de trampolim, malabarismo e mágica.

Zh`ang Heng, um grande homem de letras na Dinastia Han Oriental, registrou em um de seus escritos, "The Western Capital Fu", muitas rotinas acrobáticas emocionantes e truques de mágica. O circo chinês moderno, por mais sofisticado que possa parecer, foi criado e realizado pelos antigos acrobatas chineses.

Esses acrobatas foram os favoritos da corte ao longo do Período Wei do Norte (386 - 534), na Dinastia Sung (960 - 1279), como registrado em livros e pinturas da época. Durante a Dinastia Sung, a arte da acrobacia foi praticada por metafísicos taoístas em um esforço para aperfeiçoar suas habilidades físicas e concentração mental.

Com o passar do tempo, o público do circo chinês mudou e, além dos nobres, os artistas foram bem recebidos também pelas pessoas comuns. Os artistas do circo se juntaram a marionetes, contadores de histórias, magos, dançarinos e outros artistas, que já se apresentavam para camponeses. O governo chinês começou a acompanhar de perto o movimento de grupos e artistas individuais. Como resultado, ao longo dos séculos XIX e XX, o circo chinês existiu em um formato menos estruturado. Viajando sozinhos ao invés de em grupos, os artistas ficaram desmoralizados e desacreditados perante o público.

Em 1949, a República Popular da China começou a financiar grupos e o circo chinês ressurgiu como uma forma de arte popular. Foi criado um grande número de novos programas com acompanhamento musical, figurinos, adereços, iluminação e o circo chinês tornou-se uma forma abrangente de arte de palco, tão magnificamente representada pelos artistas do Circo Imperial da China.

O Circo Imperial da China é  considerado um dos melhores circos do mundo e tem desempenhado um papel importante no intercâmbio cultural entre muitas nações. Grupos de circo chineses e europeus visitaram muitas regiões e países em todo o mundo. Suas excelentes performances foram calorosamente recebidas e muito apreciadas pelo público em todo o mundo.

SERVIÇO:
CIRCO IMPERIAL DA CHINA – Turnê "On Ice – O Mundo da Imaginação"
Realização: Like Entretenimento
Quando: 
de 14 a 17 de junho de 2018 (Quinta, Sexta, Sábado e Domingo)
Local:
Teatro Positivo – Grande Auditório (R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300)
Horários:
-
14.06 (quinta) - 20h30;
- 15.06 (sexta) - 21h;
- 16.06 (sábado) - 18h e 21h15;
- 17.06 (domingo)17h e 20h15

Classificação etária: 
Livre
Duração do espetáculo: 1h35 com intervalo de 15 min
INGRESSOS: 
variam de R$60,00 (meia-entrada) a R$290,00 (inteira), de acordo com o setor. 
Plateia A - R$290,00 (inteira) e R$150,00 (meia-entrada);
Plateia B - R$250,00 (inteira) e R$130,00 (meia-entrada);
Plateia C - R$210,00 (inteira) e R$110,00 (meia-entrada);
Plateia D - R$170,00 (inteira) e R$90,00 (meia-entrada);
Plateia E - R$150,00 (inteira) e R$80,00 (meia-entrada);
Plateia F - R$110,00 (inteira) e R$60,00 (meia-entrada).
A meia-entrada é válida para estudantes, pessoas acima de 60 anos, professores, doadores de sangue e portadores de necessidades especiais (PNE) e de câncer.    
- Portadores do cartão fidelidade Disk Ingressos possuem 50% de desconto na compra de até dois bilhetes por titular.
PROMO COMBO FAMÍLIA– Na compra de 3 ingressos no valor da entrada inteira ou meia-entrada, o cliente ganha mais um no mesmo setor.
Promoções não cumulativas com descontos previstos por Lei. ***Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio.
***Já está incluso o valor de R$10,00 de acréscimo por bilhete referente à taxa de administração Disk Ingressos. 
PONTOS DE VENDA:Disk Ingressos (Loja Palladium - de segunda a sexta, das 11h às 23h, aos sábados, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h, -  e quiosques instalados nos shoppings Mueller, Estação e São José de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h)Call-center Disk Ingressos (41) 33150808 (de segunda a sexta, das 9h às 22h, e aos domingos, das 9h às 18h), na bilheteria do teatro Positivo (de segunda a sexta, das 9h às 21h, e aos sábados, das 9hs às 18hs) e pelo portal www.diskingressos.com.br.
Formas de pagamento: dinheiro, cartões de débito e crédito (em até 3x) - Visa, Mastercard, Elo, Diners,  Amex, Visa Electron e Maestro). Não serão aceitos cheques.
Informações para o público: 41 33150808

 

Victor & Leo em turnê inédita “Na Luz do Som”

Victor & Leo na turnê "Na Luz do Som"

 

 

Curitiba recebe no dia 08 de junho, sexta-feira, apresentação inédita da turnê “Na Luz do Som” dos irmãos Victor & Leo. O show acontece no Grande Auditório do Teatro Positivo (Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido) a partir das 22h com a produção e realização da RW7 Production & Entertainment e Massa Play.

 

Gravado em estúdio o novo disco “Na Luz do Som” – mesmo nome da turnê – é um projeto todo autoral com 12 músicas inéditas todas de autoria de Victor Chaves, sendo uma, “Valsa de Vento”, em parceria com o irmão, Leo Chaves. O disco traz algumas sonoridades do rock e pop. A primeira faixa apresentada ao público foi ‘Senhorita’, composição de Victor Chaves. Na Luz do Som, a dupla mais uma vez apresenta melodias refinadas e composições impecáveis.

 

251117 HB Show Vitor e Leo70 840x560

Victor & Leo em Curitiba no Teatro Positivo

 

Com novidades no cenário, na iluminação e no repertório, Victor & Leo apresentam por todo país a nova turnê, “Na luz do som”. “Além de ser uma obra que nos representa muito bem em sentidos diversos, desde sua construção, força e tema, também tem o nome daquilo que acreditamos ser o verdadeiro poder de uma canção: dar cor e luz a um momento”, conta Victor. 

 

O show é um verdadeiro passeio por cada etapa da carreira da dupla, desde os primeiros hits: “Amigo apaixonado”, “Fada”, “Vida boa” e “Fotos”, passando pelas consagradas “Borboletas”, “Tem que ser você”, “Deus e eu no sertão” e “Quando você some”. A apresentação traz ainda sucessos mais recentes: “Na linha do tempo”, “10 minutos longe de você” e “Momentos”, além de canções do novo álbum que já conquistaram o público, como “Senhorita”, “Na luz do som” e “Bom tudo pra você”. 

 

Conhecidos como uma das maiores e mais versáteis duplas do país, Victor & Leo deram início à carreira musical em 1992, na cidade em que foram criados, Abre Campo/MG. Compositores, produtores, cantores e arranjadores, os irmãos são responsáveis pela construção de quase todos os seus trabalhos. 

 

A dupla que despontou no cenário nacional a partir do final de 2006 com um folk e uma identidade inconfundíveis, trouxe uma profunda renovação para a música como um todo e, de lá para cá, são 15 CDs, 4 DVDs ao vivo e 2 DVDs documentário. Mesmo em tempo de intensa pirataria, Victor & Leo venderam mais de 3,5 milhões de discos, somam quase 500 milhões de visualizações no YouTube, e acumulam diversas premiações na carreira, entre elas, a do Grammy Latino e do Prêmio da Música Brasileira. Saiba mais em https://www.youtube.com/user/victoreleo ou http://www.victoreleo.com.

 

Os ingressos estão à venda pelo Disk Ingressos (https://www.diskingressos.com.br/event/7337) ou (41) 3315-0808. Os ingressos custam de R$80,00 a R$560,00. Descontos promocionais para Bônus Flyer Digital, Colaborador Grupo Massa, Cartão Clube Disk Ingressos & Uningressos. Meia entrada para Estudantes, Idosos, Doadores de Sangue, Professores, Portadores de Necessidades Especiais, Portadores de Câncer. Descontos não cumulativos. Não se aplicam a outros descontos concedidos por Lei e outras promoções. A classificação do show é livre. Saiba mais em http://www.facebook.com/Rw7ProductionEntertainment. 

 

Serviço:
Victor & Leo – Turnê Na Luz do Som
Data: 08 de junho (sexta) – 22h (abertura do Teatro às 21h)

Local: Grande Auditório Teatro Positivo (Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido)
Ingressos à venda: https://www.diskingressos.com.br/event/7337 ou (41) 3315-0808
Ingressos: Setor verde: R$160,00 (R$80,00 meia entrada) + taxa; Setor azul: R$200,00 (R$100,00 meia entrada) + taxa; Setor vermelho: R$280,00 (R$140,00 meia entrada) + taxa; Setor roxo: R$380,00 (R$190,00 meia entrada) + taxa; Setor laranja: R$440,00 (R$220,00 meia entrada) + taxa; Setor amarelo: R$500,00 (R$250,00 meia entrada) + taxa; Setor Rosa: R$560,00 (R$280,00 meia entrada) + taxa.
Meia entrada: Estudantes, Idosos, Doadores de Sangue, Professores, Portadores de Necessidades Especiais, Portadores de Câncer.
Descontos promocionais: Bônus Flyer Digital, Colaborador Grupo Massa, Cartão Clube Disk Ingressos & Uningressos. Descontos não cumulativos. Não se aplicam a outros descontos concedidos por Lei e outras promoções.
Classificação: Livre

Última atualização em Ter, 29 de Maio de 2018 10:22
 

Espetáculo Coração , da Obragem de Teatro, que fará temporada em Curitiba de 19 de abril a 6 de maio.

“Coração”, novo espetáculo do Grupo Obragem de Teatro, é uma resposta lírica para as angústias da realidade atual, originárias do comportamento humano e das manipulações políticas. A pesquisa partiu do estudo das obras do escritor e jornalista uruguaio Eduardo Galeano, autor de “As Veias Abertas da América Latina”, e o resultado é um texto original que chega ao palco reunindo elementos multiartes, leitura de fatos históricos, filosofia e uma boa dose de crítica. A temporada é de 19 de abril a 6 de maio, no Espaço Obragem – Criação e Compartilhamento Artístico, com ingressos a preços populares.

A peça é dividida em dois atos independentes, porém conectados. O primeiro, “Coração”, é um solo interpretado pela atriz convidada Greice Barros, no qualreal e fantástico se misturam no devaneio de um anjo perturbado, que incansavelmente busca religar o ser humano as suas qualidades essenciais. Em “O Céu de Valentim”, segundo ato, Eduardo Giacomini e Olga Nenevê encenam a jornada fantástica de um menino que recebe a visita de um anjo e parte em busca de seu pai, na companhia de sua avó. O confronto entre a pobreza e as surpresas do caminho redimensionam os espaços do corpo, da natureza e da possibilidade de reescrever a própria história.

O texto e a direção são de Olga Nenevê, que acredita na pertinência do espetáculo frente ao momento de violência e intimidação contra a oposição política e os defensores de direitos humanos no Brasil. “Em 2014, quando começamos a pesquisa, as tensões sociopolíticas da época direcionaram nossas escolhas, os recortes que foram a base da criação. Mas agora, diante dos acontecimentos mais recentes no Brasil, é fundamental levar “Coração” aos palcos”, comenta Nenevê.

Dramaturga, diretora e atriz, considerada uma das principais referências do teatro curitibano contemporâneo, O. Nenevê encabeça a Obragem ao lado de Eduardo Giacomini, figurinista, cenógrafo e ator. Para ele, um dos pontos determinantes na produção de “Coração” são as parcerias: “A artista Marila Velloso, há mais de 14 anos, desenvolve conosco interações entre o Body Mind Centering – BMC, a dança contemporânea e os escritos de A. Artaud, para endossar a ideia de que é o corpo o lugar dos acontecimentos. Os outros envolvidos no projeto já possuem uma forte relação com a companhia ou foram convidados porque admiramos os seus trabalhos. A ideia é que a troca faça da criação algo pulsante.”

Além de Vadeco Schettini nas composições originais, profissional com um vasto portfólio onde se destacam as trilhas e sonoplastias para cinema, teatro, dança e seriados de TV no Brasil e exterior, a equipe da peça “Coração” ainda conta com:Paulo Vinícius nos Figurinos; Lídia Ueta nas projeções e fotos; Elenize Dezgeniski em teaser e fotos; Lucas Amado na Iluminação; Maria Adélia na confecção dos bonecos; Alessandra Nenevê como designer gráfico; e Luciana Melo como assistente de produção e assessora de comunicação.

A produção ofertará uma oficina gratuita de 28 a 30 de maio, a partir da experiência de montagem da peça, intitulada “A vibração das camadas de presença do intérprete criador para a construção da cena”. O espetáculo também fará 10 sessões gratuitas, ofertadas para escolas e instituições indicadas pelas Regionais da capital. A realização é do Grupo Obragem de Teatro, com produção da EGM Produções Artísticas. “Coração” tem apoio da BDrops, incentivo do Grupo Positivo e do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura – Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba.

GRUPO OBRAGEM DE TEATRO

Criado pelos artistas Eduardo Giacomini e Olga Nenevê, o Grupo Obragem de Teatro é caracterizado por seu perfil investigativo e pela construção de uma linguagem particular de expressão artística. Trabalha em ações integradas de criação, intercâmbios artísticos e formação de plateia, sempre acreditando na arte como meio de transformação dos modos de agir, pensar e participar da sociedade. Com sede em Curitiba, surgiu em 2002 e totaliza 21 produções entre público adulto e infantil, circulou por várias cidades do Brasil e, também em Lisboa/Portugal.

Participou de importantes eventos culturais como:Festival Internacional de São José do Rio Preto; Festival Internacional de Londrina - Filo; circulou pela Caixa Cultural, SESI/SP e SESI/PR.Realizou, com o Prêmio Myriam Muniz de Teatro da Funarte, as ações “Dossiê Buchner – pesquisa e montagem” em 2010 e “Obragem Circula Presenças” em 2015. Ganhou o Prêmio Arte Paraná da Seec-PR e o Prêmio Funarte Myriam Muniz de Teatro com a montagem “Essencial” de 2014; e o Troféu Gralha Azul nas categorias de melhor texto original e melhor iluminação com “As Tramoias de José na Cidade Labiríntica” de 2012. Entre suas produções de destaque está “Cristiano – O Cão Louco” de 2013, com participação especial do ator Leandro Daniel, hoje no elenco da novela “Deus Salve o Rei”. Para mais informações, acesse www.grupoobragemdeteatro.com.br.

FICHA TÉCNICA:

CORAÇÃO
Texto e Direção: Olga Nenevê
Assistente de Direção e Cenário: Eduardo Giacomini
Interpretação: Greice Barros
Direção de Movimento e Preparação Corporal: Marila Velloso
Trilha Musical Original:
Vadeco Schettini
Figurino: Paulo Vinícius
Iluminação e Operação de Luz: Lucas Amado

O CÉU DE VALENTIM
Texto: Olga Nenevê
Direção e Interpretação: Eduardo Giacomini e Olga Nenevê
Projeções: Lídia Ueta
Preparação Corporal: Marila Velloso
Trilha Musical Original:
Vadeco Schettini
Figurino: Eduardo Giacomini
Confecção de Boneco (cobra-dragão): Maria Adélia
Iluminação e Operação de Luz: Lucas Amado

EQUIPE DO PROJETO
Teaser e Fotos (divulgação e registro): Elenize Dezgeniski
Registro em Vídeo: Lídia Ueta
Assistente de Produção e Assessoria de Comunicação: Luciana Melo
Designer Gráfico: Alessandra Nenevê
Responsável Técnico de Som e Luz: Lúcio Nogueira
Produção: EGM Produções Artísticas

Serviço - Espetáculo Coração

Drama

Local: Espaço Obragem

Alameda Júlia da Costa, 204. São Francisco. Curitiba-PR

Temporada: 19 de abril a 06 de maio (quinta a domingo)

Horário: 20h

Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia).

Pagamento: Cartões e dinheiro.

Lotação: 40 lugares

Duração: 1h30

Classificação indicativa: Livre

Informações e reservas: 41 3077-0293 ou por WhatsApp 41 99206-0284

Facebook: @obragem

Serviço – Oficina Gratuita

A vibração das camadas de presença do intérprete criador

para a construção da cena

A partir da experiência de montagem da peça CORAÇÃO, os artistas Olga Nenevê e Eduardo Giacomini compartilham procedimentos, referências e criam condições para a experimentação teórica e prática artística dos participantes.

Local: Espaço Obragem

Alameda Júlia da Costa, 204. São Francisco. Curitiba-PR

Data: de 28 a 30 de maio (segunda a quarta)

Horário: das 18h às 21h

Lotação: 20 vagas

Público-alvo: adultos, interessados em geral (artistas e não artistas).

Pré-requisito: ter assistido a peça "Coração" ou "O céu de Valentim"

Inscrições: enviar minibiografia com manifestação de interesse para o e-mail

Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. até 15 de maio.

 

Última atualização em Qua, 18 de Abril de 2018 08:29
 

Manotas Musicais por Grupo Trampulim

Uma das maiores companhias de circo do Brasil, o Grupo Trampulim, que completa 24 anos de atividades, alia a linguagem do palhaço à música e à improvisação num espetáculo cheio de humor para todas as idades

A CAIXA Cultural apresenta ao público de Curitiba um dos mais divertidos espetáculos de palhaços. "Manotas Musicais" conta as peripécias dos palhaços Benedita Jacarandá e Sabonete que decidem ser músicos clássicos. Para isso, convidam uma banda composta por três atrapalhados integrantes. No meio da performance, Benedita e Sabonete também resolvem ser maestros e transformam a plateia em orquestra, gerando situações que arrancam gargalhas do público. Com um repertório eclético, jogos musicais e gags tradicionais de palhaço, Benedita e Sabonete conduzem o espetáculo de maneira divertida e surpreendente.

"Manotas Musicais" utiliza 250 tambores como forma de comunicação e aproximação com o público, propondo que o mesmo se torne protagonista e integre o espetáculo. Os tambores são distribuídos durante a apresentação. Aliado a esta proposta musical está o jogo do palhaço. Nesse espetáculo, as gags tradicionais ganham nova roupagem e são um convite ao riso e à inversão da lógica. O repertório deste espetáculo vai desde "O Trem caipira", de Heitor Villa Lobos, a músicas inventadas pela banda de palhaços.

Sobre o Grupo Trampulim

O Grupo Trampulim é uma das maiores companhias de circo do Brasil. Criado em 1994, já criou 18 espetáculos e recebeu diversos prêmios. Especializou-se na linguagem do palhaço que, aliada à música e à improvisação, forma o eixo artístico da companhia. Reconhecido por sua maneira autêntica de se comunicar com o público, realiza turnês no Brasil e no exterior. Também desenvolve diversos projetos sociais para empresas.

É formado por um grupo de artistas comprometidos em fazer de sua arte uma ferramenta para surpreender, emocionar e transformar as pessoas. Por meio de espetáculos, oficinas e workshops, o Grupo Trampulim difunde seu trabalho artístico e pedagógico e aprimora o seu olhar e a sua maneira de lidar com a arte do palhaço.

Oficina "O Jogo do Palhaço"

Prevista para os dias 12 e 13 de abril, a oficina "O Jogo do Palhaço" será ministrada por artistas do Grupo Trampulim na CAIXA Cultural Curitiba. A oficina é voltada a atores e interessados pelas artes circenses com idade a partir de 16 anos. Permite ao participante compartilhar caminhos e métodos eleitos pelo Grupo Trampulim durante sua trajetória que levam à descoberta, construção e desenvolvimento de um "estado fértil" para o desenvolvimento do palhaço.

O trabalho se baseia na metodologia da canadense Sue Morrison denominada "O Clown através das máscaras". Realiza, a partir de improvisações, jogos e exercícios corporais específicos que permitem o reconhecimento e a manutenção da inspiração, intuição, entrega e criação, entre outros pré-requisitos para o jogo do palhaço. Na oficina, os participantes aprendem que ser palhaço ultrapassa a condição de fazer graça. Requer escuta, sensibilidade e presença ativa, dentre tantos outros requisitos. A profundidade e a interdisciplinaridade dessa condição exigem que o aprendiz, artista ou amador, lance mão de vários saberes para alcançar a condição de simplesmente ser um palhaço.

 

 

Serviço

Teatro: Manotas Musicais por Grupo Trampulim

Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).

Data:14 e 15 de abril de 2018 (sábado e domingo)

Horário:sábado, às 15h e às 18h; e domingo, às 15h.

Ingressos:vendas a partir de 07 de abril (sábado).R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 14h às 19h.)

Classificação etária:Livre

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Oficina: "O Jogo do Palhaço"

Data:12 e 13 de abril de 2018.

Horário:das 18h às 22h

Inscrições:Pelo e-mail, até o dia 08 de abril. O resultado será divulgado no dia 09 de abril no facebook.com/CaixaCulturalCuritiba.

Vagas:Limitadas (Para atores maiores de 16 anos.)

 

Cultura e gastronomia da Itália, Alemanha e Brasil na última semana da Páscoa Gourmet

A Páscoa Gourmet chega a sua última semana no Shopping Curitiba. Na agenda estão os costumes, as culturas e a gastronomia de Itália, Alemanha e Brasil, acompanhados de saborosas degustações.

Na sexta-feira (23), a partir das 19h, o grupo Giuseppe Garibaldi conduz um bate-papo sobre a Itália. Os participantes também aproveitam a degustaçãoda Colomba Pascal (pão doce com frutas) e da Pastiera Napolitana (torta de Ricota), além da harmonização de cafés comandada por Miguel Izepão e Carlos Eduardo Costa.

No sábado (24) é a vez da Alemanha, com degustação de cordeiro assado e batatas, bate-papo sobre o país com o Grupo Alte Heimat e oficina de decoração de mesa para a ceia de Páscoa com base nas tradições alemãs.

Quem encerra o tour pelas diferentes tradições de Páscoa é o Brasil, no domingo (25).Os participantes vão aprender com a doceira Anne Schuartz a fazer ovos gourmet, conhecer a história do cacau e provar os deliciosos chocolates.

As apresentações do fim de semana têm início às 17h.Para participar, é necessário retirar uma pulseira individual uma hora antes, na Praça de Eventos do Shopping (piso L2). As vagas são limitadas e serão ocupadas de acordo com a ordem de chegada.

Todas as informações estão no link: https://www.facebook.com/events/1634054063345463/

Serviço

Páscoa Gourmet

Datas:23/03, 19h – Degustação de Colomba Pascal (pão doce com frutas) e Pastiera Napolitana (torta de Ricota) com harmonização de cafés comandada por Miguel Izepão e Carlos Eduardo Costa. O bate-papo sobre a Itália será com o grupo Giuseppe Garibaldi.

24/03, 17h – Degustação de cordeiro assado com batatas, bate-papo sobre a Alemanha com o Grupo Alte Heimat e oficina de decoração de mesa para a ceia de Páscoa com base nas tradições alemãs.

25/03, 17h – Brasil com workshop da doceira Anne Schuartz que vai ensinar a fazer ovos gourmet, bate-papo sobre a história do cacau e degustação de brigadeiro.

Quanto:entrada gratuita

Onde:Praça de eventos do Shopping Curitiba (piso L2)

Como participar:é necessário retirar uma pulseira individual uma hora antes, na Praça de Eventos. As vagas são limitadas.

Mais informações no link: https://www.facebook.com/events/1634054063345463/

Shopping Curitiba

Rua Brigadeiro Franco, 2.300.

Curitiba (PR)

(41) 3026-1000 | www.shoppingcuritiba.com.br

@ShoppingCtba | www.facebook.com/ShoppingCuritiba

 

Caixa Cultural traz a Curitiba a peça Na Selva Das Cidades – Em Obras

fotos Renato Mangolin Foto - Renato Mangolin

 A CAIXA Cultural Curitiba apresenta uma versão inusitada da peça Na Selva das Cidades. Escrita em 1927, pelo dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956), a obra ainda desafia o tempo, quase um século depois. De uma atualidade aguda, o texto alinha exclusão social aos podres poderes da vida em sociedade. Esses aspectos são investigados à exaustão para a montagem trazida pelo grupo mundana companhia.

Com direção geral de Cibele Forjaz, a peça tem elenco formado por Aury Porto, Carol Badra, Guilherme Calzavara, João Bresser, Luah Guimarãez, Mariano Mattos Martins, Sylvia Prado, Vinícius Meloni e Washington Luiz Gonzales. A pesquisa resultou em um livro distribuído gratuitamente para escolas de teatro e instituições de todo o país.

Parte do conjunto de principais realizadoras de teatro contemporâneo no Brasil, a mundana companhia fez jus a seu nome durante o desenvolvimento da estrutura da peça: ao longo de dois anos, enveredou por toda São Paulo pesquisando, de corpo presente, sua humanidade. A partir daí, arquitetou um espetáculo que se transforma, literalmente, a cada temporada/ocupação.

foto Renato Mangolin Foto - Renato Mangolin

A partir do glossário urbano adquirido, a montagem conta a mesma história a partir de novos pontos de vista. Ao trabalho da diretora Cibele Forjaz soma-se sempre uma equipe propositiva formada por componentes do grupo que assumem uma espécie de curadoria. Em Curitiba, Aury Porto, Bia Fonseca, Flora Belotti e Rogério Pinto vão liderar a Ocupação #17 PALCO. Eles estudam o espaço e propõem, para toda a equipe, a forma que a peça assumirá durante a temporada/ocupação.

Em Curitiba, Na Selva das Cidades – Em Obras os criadores apresentam o palco à italiana – espaço nada comum na trajetória da mundana companhia. "A imersão por São Paulo, durante a pesquisa de linguagem, nos deu um eixo. Desde o início estabelecemos uma equipe propositiva que aponta rumos. Toda a ficha técnica está o tempo inteiro envolvida, em movimento, sem um pensamento pronto e acabado para a montagem", explica Aury Porto, fundador junto com Luah Guimarãez da mundana companhia. As peculiaridades que envolvem a montagem e o processo de criação da companhia serão apresentados durante um bate papo com o público, que será realizado no dia 4 de março, às 15 horas, com entrada franca.


Bixiga – Perdizes: Potência das experiências

Um dos textos com mais elementos expressionistas de Brecht, Na Selva das Cidades mostra a luta entre dois homens, mas também o embate com a cidade. Em 1969, o Teatro Oficina realizou uma montagem do texto considerada antológica. "Lina Bo Bardi levou, para dentro da Oficina, restos de moradias do Bixiga que estavam sendo demolidas para a construção do Minhocão, que liga Bixiga a Perdizes", conta Aury Porto. Esse processo orientou a pesquisa de campo da mundana companhia. O impacto da imersão dos artistas com o intercâmbio junto aos moradores de SP foi vertiginoso. "Não podíamos criar uma montagem, digamos, formal. A cidade nos deu um estímulo que, na sala de ensaio, se esvaía. Decidimos abrir a possibilidade de mudar tudo a cada nova agenda de apresentações. Já fizemos sem palavra alguma; outra vez fizemos em uma hora, depois em três", contextualiza Aury.

Dessa maneira, a companhia assumiu o risco de investir no inusitado. "Os conceitos acabados e as formas fixas não cabiam mais nesse trabalho. O próprio texto de Brecht é cheio de lacunas. Percebemos que era a partir destas lacunas que o trabalho se abriria para o nosso tempo e suas questões, para uma comunicação mais livre entre a nossa equipe de criação e o público, entre o teatro e a cidade, entre a ficção e a realidade. Resolvemos, então, abrir radicalmente o espetáculo para a potência das experiências vividas, em grupo, com a cidade. A partir desse novo paradigma, tudo passou a ser móvel e inacabado. A cada nova ocupação, tudo se transforma na relação com o espaço ocupado. Desta forma, o cenário propõe sempre uma nova intervenção no espaço. Da mesma forma, a luz, o vídeo, os figurinos e os objetos de cena só existem a partir da relação com esse novo espaço e seus conceitos. O trabalho dos atores não tem marcas fixas, mas regras de jogo que determinam a movimentação e o desenho da cena. Cada Ocupação é singular, cada sessão é uma estreia. Lutando diariamente contra a nossa tendência às relações hierárquicas e às formas prontas, estamos no risco, prontos para o inesperado", conclui Cibele Forjaz.


Sobre a mundana companhia

Desde o ano 2000, inspirados pela militância política dos artistas de teatro da cidade de São Paulo junto ao movimento "Arte contra a Barbárie", Aury Porto e Luah Guimarãez desejavam criar um núcleo artístico formado essencialmente por atores-produtores. A partir daí, um diretor – com afinidades afetivas e estéticas com os membros da companhia – seria convidado a participar. O mesmo ocorreria com os profissionais das outras áreas, como cenografia, figurino, música, luz, e até mesmo outros atores. A cada projeto a companhia teria um novo corpo que daria vazão às ideias de continuidade e transitoriedade. Esse é o pensamento que caracteriza a mundana companhia.

Essa companhia, de encontros conscientemente transitórios, recebe o adjetivo antes do substantivo e tem seu nome integralmente grafado com letras minúsculas. Esboça-se, assim, um projeto em constante construção por diversas mentes e mãos, num processo que pode ser chamado de "frátria", em dissonância com a supremacia do ideário de pátria – tão caro à maioria das sociedades modernas. Essas especificidades nas relações internas se refletem nas relações com os espectadores e, obviamente, nos temas a serem investigados a cada novo projeto. Apesar de elaborado desde a virada do século, o primeiro trabalho deste núcleo artístico só foi realizado muitos anos depois.

O repertório da mundana companhia é formado pelas montagens: A Queda (2007), adaptação do romance de Albert Camus; Das Cinzas (2009), com texto de Samuel Beckett; O Idiota – uma novela teatral (2010), realizado a partir da obra homônima de Fiódor Dostoiévski; Tchekhov 4 - Uma Experiência Cênica (2010), primeiro trabalho do diretor russo Adolf Shapiro com atores brasileiros – montado por ocasião do centenário de Anton Tchekhov; Pais e Filhos (2012), com encenação adaptada do romance homônimo de Ivan Turguêniev, mais uma vez dirigida por Adolf Shapiro; O Duelo (2013), criado a partir da novela de Tchekhov, que foi a temporada anterior da mundana companhia na cidade de Curitiba em 2014. Atualmente, está apresentando a peça Dostoiévski Trip, de Vladímir Sorókin,com direção de Cibele Forjaz, numa coprodução com a Cia Livre.


Serviço

Teatro: Na Selva das Cidades – Em Obras

Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).

Data: 02 a 04 de março de 2018 (sexta a domingo)

Horário: sexta às 20h; sábado às 17h e às 20h; e domingo às 18h.

Ingressos: Vendas a partir de 24 de fevereiro (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 16h às 19h.)

Classificação etária: 14 anos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Debate com os criadores: 04 de março, às 15h, com entrada franca.

Última atualização em Seg, 19 de Fevereiro de 2018 11:22
 


Página 1 de 22
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.