6 curiosidades do setor rodoviário

caminhao foto rafael manzutti sinfra mt1
Curiosidades sobre o setor rodoviário (Foto: Rafael Manzutti Sinfra)

 

O setor rodoviário é um dos mais antigos no Brasil. Seu desenvolvimento iniciou no século XX em decorrência do crescimento da indústria automobilística e, atualmente, é o modelo de transporte mais utilizado - e democrático - do país.

Hoje, com cerca de 1,8 milhão de quilômetros de rodovias, a quarta mais extensa do mundo, o sistema atende a todos os públicos e é o modelo de transporte pago que chega a mais lugares em território nacional e, por isso, também é o que mais transporta passageiros no país.

A ClickBus, plataforma líder em vendas online de passagens rodoviárias, listou seis curiosidades do setor. Confira:


- No Brasil atualmente existem mais de 4.000 rodoviárias;
- Atualmente são mais de 150 viações circulando no país;
- O setor vende 160 milhões de passagens por ano, 79% a mais que o setor aéreo doméstico;
- O terminal rodoviário mais movimentado do Brasil é o Terminal Rodoviário Tietê, em São Paulo, com uma média de movimentação diária de mais de 60 mil passageiros;
- A primeira rodoviária do Brasil foi criada em Vacaria (RS), na década de 30;
- A rota mais longa que uma pessoa pode fazer viajando de ônibus pelo país é de Pelotas (RS) à Fortaleza (CE) com 4.530 quilômetros, que leva de três a cinco dias para ser percorrida;

Sobre a ClickBus:

Líder em inovação do setor rodoviário, a ClickBus é o principal agente de mudança de comportamento de compra de passagens de ônibus no Brasil, trabalhando de forma ativa em todas as pontas do ecossistema digital para facilitar a vida de quem viaja de ônibus: como um agregador (GDS), uma plataforma online (OTA) e operador de sites de empresas de ônibus e rodoviárias (Gestor de Whitelabel). Com mais de 130 empresas em seu portfólio que levam para mais de 4 mil destinos, a plataforma trabalha como um facilitador entre os viajantes e empresas de ônibus. Até o final de 2017, vendeu online mais de 6 milhões de passagens rodoviárias.

Última atualização em Qui, 18 de Outubro de 2018 18:44
 

Bisa Bia, Bisa Bel - Caixa Cultural

O espetáculo ganhou sete prêmios do teatro infantil carioca  e faz três apresentações em Curitiba

 

foto BISA BIA BISA BEL 2118 x Rudy Hülhold
CAIXA Cultural traz a Curitiba a montagem do espetáculo premiado infantil "Bisa Bia, Bisa Bel", baseado no clássico de Ana Maria Machado (Foto: Divulgação)

 

 

A CAIXA Cultural traz a Curitiba a montagem do espetáculo premiado infantil "Bisa Bia, Bisa Bel", baseado no clássico de Ana Maria Machado.O espetáculo, adaptado e dirigido por Joana Lebreiro, conta a história da menina Isabel, que aprende a lidar consigo mesma no convívio imaginário com sua bisavó e sua bisneta. As apresentações acontecem na CAIXA Cultural Curitiba, nos dias 20 e 21 de outubro, no sábado às 15h e às 18h e no domingo, às 15h.

 

Na peça, três tempos e três vivências se cruzam numa mistura encantadora do real com a fantasia. O espetáculo tem como ponto de partida um grupo de 5 crianças, que juntas, leem o clássico de Ana Maria Machado. A partir daí, o livro ganha vida no palco através de canções e jogos, onde os amigos brincam e interpretam os personagens. 

 

"Esse livro marcou a minha infância. Ele conta uma história emocionante com humor, poesia e lirismo. Quando pensei em adaptá-lo para o teatro, não queria que a montagem fosse uma tradução literal do livro, mas uma verdadeira brincadeira em cima do palco. Meu objetivo é despertar nas crianças e nos pais o desejo de ler o livro depois de sair do teatro", explica a diretora Joana Lebreiro. 

 

O espetáculo aborda a importância da memória e a formação da identidade, principalmente no universo feminino, com reflexão sobre o papel da mulher ao longo da História.  "Quando escrevi Bisa Bia, Bisa Bel estava com muita saudade das minhas avós. Vontade de falar sobre elas com meus dois filhos. Não imaginava que pouco depois ia ter uma filha e essa linhagem feminina ainda ia ficar mais significativa para mim e que este livro fosse ganhar tantos prêmios e tocar tanto os leitores", conclui a autora Ana Maria Machado.

 

Incentivo à cultura 

A CAIXA investiu mais de R$ 385 milhões em cultura nos últimos cinco anos. Em 2018, nas unidades da CAIXA Cultural em Brasília, Curitiba, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, está prevista a realização de 244 projetos de Artes Visuais, Cinema, Dança, Música, Teatro e Vivências. 

A CAIXA Cultural Curitiba oferece, desde 2004, uma programação diversificada, com opções gratuitas ou a preços populares, estimulando a inclusão e a cidadania. O espaço, situado no centro da capital, conta com duas galerias, um teatro, uma sala de oficinas e tem 70 atrações previstas na programação de 2018. 

 

foto BISA BIA BISA BEL 3 x Rudy Hülhold
Bisa Bia, Bisa Bel na CAIXA Cultural (Foto: Divulgação)

 

Ficha Técnica

Texto - Ana Maria Machado

Adaptação e direção - Joana Lebreiro

Direção musical e arranjos - Marcelo Rezende

Canções originais – Joana Lebreiro e Marcelo Rezende

Elenco - Viviana Rocha / Gisela de Castro / João Lucas Romero / Laura Becker / Vicente Coelho

Cenário - Carlos Alberto Nunes

Figurino - Mauro Leite

Iluminação - Aurélio de Simoni

Direção de Movimento – Nathalia Mello

Programação Visual - Miguel Carvalho

Fotografia – Rudy Hülhold

Produção - Alexandre Mofati e Maria Alice Silvério 

Produção Local – Edran Mariano

Assessoria de Imprensa Curitiba – Fernando de Proença 

Realização - Ofício Produções ltda.

  

Serviço

Teatro: Bisa Bia, Bisa Bel

Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data:20 e 21 de outubro

Horário:sábado, às 15h e às 18h e domingo, às 15h

Ingressos:vendas a partir de 13 de outubro (sábado).R$ 16 e R$ 8 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 14h às 19h.)

Duração: 60 minutos

Classificação etária:Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Última atualização em Ter, 16 de Outubro de 2018 14:31
 

Saúde - Inovações e novas tecnologias

H7O484ABF0210

O Health Tech for Smart Cities, promovido pelo iCities, será em 19 e 20 de outubro na PUCPR

 

De que forma as inovações tecnológicas para a área da saúde ajudam a construir cidades inteligentes, humanas e sustentáveis? Esse é o debate que o iCities, empresa pioneira em soluções para cidades inteligentes, promoverá durante o evento Health Tech for Smart Cities, nos dias 19 e 20 de outubro, no auditório Gregor Mendel, no bloco verde da PUCPR. Cientistas, técnicos e pesquisadores vão falar sobre experiências consagradas e debater com os participantes, que também poderão fazer networking e realizar negócios.

No primeiro dia do evento, co-organizado pela PUCPR e com apoio estratégico do Vale do Pinhão, haverá ainda a apresentação de cases reais e acadêmicos de investimentos em inovação capazes de provocar impacto significativo na vida das pessoas. O segundo dia será destinado a um workshop, oportunidade para o desenho de soluções dos cases apresentados anteriormente. O programa será facilitado por um time especializado da universidade. A atividade faz parte do programa de extensão da PUCPR e será realizada mediante inscrição paga.

A programação foi concebida para um público eclético, mas com interesses em comum, incluindo profissionais, alunos e pesquisadores da área da saúde, além de representantes de startups e de empresas da base química, biotecnológica, mecânica, eletrônica e de materiais. Também vai reunir prestadores de serviços como hospitais e clínicas de diagnóstico e atendimento terapêutico.

Entre os palestrantes estão nomes como:
- Evandro Luis Moraes, superintendente administrativo do hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre e responsável pela Implantação da Central de Destinação de Resíduos Sólidos, iniciativa inédita no país
- Miriam Ikeda Ribeiro, enfermeira, educadora e sócia-fundadora da Ânima-Ânimus Consultoria em Gestão de Serviços de Saúde
- Marcia Cecília Huçulak, secretária municipal de saúde de Curitiba
- Juliano Moraes Santos, oftalmologista, fundador da Prevent e criador do Adam Robô, solução destinada a trabalhar na prevenção da cegueira visível
- João Vicente Vitola, Cardiologista, diretor geral da Quanta Diagnósticos e presidente da Sociedade Paranaense de Cardiologia
- Profº Dr. Zaki Akel Sobrinho, CEO e Fundador da Academic Ventures, ex-reitor da UFPR e consultor e palestrante nas áreas de Marketing
- Rodrigo Brenner e Maurício Noronha, sócios-fundadores da Furf Design Studio e co-criadores e coordenadores da Especialização em Design - Soluções de Impacto para o Futuro em Design do Centro Europeu
- Dr. Cleverson Renan da Cunha, coordenador de empreendedorismo e incubação da UFPR e do Programa Rede de Inovação em Saúde
- Raul de Vargas, assessor de inovação e tecnologia da Fundação Copel
- Marcelo Cortina Pires, diretor de TI da AlarmBR.com
- André Telles, publicitário, professor da FGV e PUC-PR e co-fundador e diretor de marketing do iCities - Smart Solutions.

A inscrição pode ser realizada aqui. Os ingressos variam de R$ 75 a R$ 150.

Sobre o iCities

O iCities é uma empresa de projetos e soluções na temática de cidades inteligentes, fundada em 2011, quando a discussão começava a emergir globalmente. Idealizadores de diversos fóruns e projetos educativos do segmento, além de consultorias e soluções "smart" para o setor público e privado. 

A empresa é responsável por trazer para o Brasil o Smart City Expo Curitiba, edição brasileira do maior evento mundial de cidades inteligentes, único com a chancela da FIRA Barcelona, que acontece anualmente na capital da Catalunha. A segunda edição já possui data marcada para os dias 21 e 22 de março de 2019.

Última atualização em Seg, 15 de Outubro de 2018 15:20
 

Prem Baba e a polêmica dos Messias

1010va0410

Nas últimas semanas, escândalos e acusações marcaram a vida do guru Prem Baba, que conquistou milhares de seguidores a partir de um método de autoconhecimento que mistura psicologia, filosofia e práticas xamanistas. A imagem do guru foi manchada por acusações de abuso de poder e proveito de sua influência com efeitos tanto no seu patrimônio quanto em favores sexuais.

Prem Baba é, contudo, apenas mais um episódio que coloca em questão a crença nesses novos líderes espirituais. Será que se deve desperdiçar toda a confiança em um homem? Um homem de carne e osso, com vaidades, traumas, necessidades e falhas de julgamento? Porque se ele realmente tirou proveito indevido sobre sua ascendência, está longe de ter sido o primeiro.

Inspirado por depoimentos e casos reais de abusos religiosos ao redor do mundo, PJ Pereira, em seu livro A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa, publicado pela Editora Planeta, conta a história de uma personagem guru brasileira e a nova Messias, Pilar da Anunciação – a Santinha do Codó. A leitura necessita de estômago forte, pois é forrada de abusos, assassinatos e perseguições, daqueles que sabemos que acontecem no mundo, mas ainda assim o estômago embrulha quando as imagens se formam diante de nós — seja na presença, na tela ou na imaginação. De forma violenta e sem pudor, o livro fala de como os religiosos abusam de certos poderes e mantém um relacionamento impositivo sobre seus fiéis e desnuda o que o autor costuma chamar de “o manual do guru do mal”, uma série de procedimentos usados na manipulação religiosa, independente do tipo de fé.

imagem release 1446746
Capa - a mãe, a filha e o espírito (Foto: Planeta)

No caso de A mãe, a filha e o espírito da Santa essa fé passa pelas religiões afro brasileiras do Nordeste, pelo neopentecostalismo e pelos cultos new age.

O título se refere a história da menina Pilar, sua mãe, dona de terreiro, e a relação delas com a entidade espiritual feminina que protege a família. De uma forma humana e crua, a obra narra a ascensão dessa santa/pastora/mentora para mostrar o que é ser uma guru, sua gênese numa sociedade machista e preconceituosa e as tentações da jornada. Heroína ou vilã? Esse é um julgamento que caberá aos leitores. Assim como somente os seguidores desses novos profetas podem realmente julgar aquilo pelo que passaram.

Se a obra permite perceber a humanidade nesses líderes espirituais e encontrar a similaridade com o que se passa em igrejas, showmícios, nas ruas e na própria TV, na prática, possibilita também reconhecer seus padrões de manipulação e controle. Quem sabe assim não ficamos mais fortes e atentos para não sermos sugados pelo campo magnético desses líderes carismáticos.

Spinoff da trilogia Deuses de Dois Mundos, A Mãe, A Filha e o Espírito da Santa mostra o poder que um líder espiritual tem nas mãos, a responsabilidade que carrega e a humanidade que não deixa de existir, mesmo naqueles predestinados a esse papel.

Sobre o autor: PJ Pereira é escritor, autor da trilogia best-seller Deuses de dois mundos, que lhe rendeu o Prêmio Luiza Bairros pela contribuição à cultura africana no Brasil. Nascido e criado no Rio de Janeiro, sempre foi fascinado pelas tradições religiosas do Nordeste, de onde vieram seus avós. Daí saiu a inspiração para seus livros. Atualmente mora na Califórnia com a mulher e o filho.

Última atualização em Seg, 01 de Outubro de 2018 19:43
 

30 Seconds to Mars apresentam “Monolith”

36533453 10155572009937823 6785232292483694592 n 900x600

30 Seconds to Mars apresentou a turnê “Monolith” em Curitiba (Foto: Divulgação)

 

 

 

A banda 30 Seconds to Mars, desembarcou na terça-feira (25) no aeroporto de Guarulhos para três apresentações da turnê “Monolith”. Os shows aconteceram em São Paulo (27), Porto Alegre (29) e Curitiba (30). O Acontece Curitiba conseguiu acompanhar o show que aconteceu na capital paranaense e conta um pouco do que os fãs curtiram neste último domingo (30).

 

Nem a chuva que começou a cair horas antes do show baixou a temperatura dos quase 3 mil fãs que compareceram ao teatro para ver a banda liderada pelo também ator Jared Leto. O irmão, Shanno Leto, abriu a noite dando o tom, através da sua bateria, de como seria embalada os próximos 90 minutos: pura emoção!

 

O setlist da banda contou com sucessos consagrados como, “Up In The Air”, “Kings and Queens” e “This is War”Bandeiras, bexigas, bolas gigantes e até mesmo o simples conjunto de luzes dos celulares tornaram a noite inesquecível ao som de “Dangerous Night”, “From Yesterday”, “Do or Die”, “City of Angels”, “The Kill” e “Hurricane”.

 

O show que não teve a presença de nenhum artista local contou com momentos de euforia pela escolha de fãs para dançar no palco, como também de uma garotinha chamada Vitória, que arrancou muitos “Ownn” da plateia e do vocalista que foi ignorado ao descobrir que a pequena não entendia uma palavra do seu idioma.

 

 

Aliás, o Leto mostrou toda uma energia para manter o seu público animado. Foi bem próximo das pessoas, andou por um caminho perigoso entre um palco e outro, conversou com a plateia por alguns minutos e contou que estava grato pelo carinho de todos os presentes.

 

 

O show acabou com cara de que ia continuar. Vários fãs puderam subir ao palco e dançar com os artistas e uma coisa nos chamou a atenção: havia muitos câmeras registrando a todas as interações da banda, isto quer dizer que a turnê fará parte de algum projeto de DVD ou série. Quem sabe os curitibanos apareçam em divulgações futuras da banda. É esperar pra ver!

Última atualização em Qui, 04 de Outubro de 2018 13:11
 

São Francisco deu pra noix!

SEDECIASENHAS FOTO ELENIZE DEZGENISKI

SEDECIASENHAS (FOTO: ELENIZE DEZGENISKI)


Durante 10 anos a CiaSenhas de Tetro teve sua sede na rua São Francisco – no centro histórico de Curitiba. Foram anos intensos cheio de encontros e arte. Neste momento nos despedimos do espaço que nos acolheu. Isso se dá por dois motivos principais: falta de recursos, no momento, para responder às despesas de manutenção do espaço e também pela necessidade de encontrarmos um lugar mais adequado para as atividades que desenvolvemos e outras que desejamos iniciar.

Sendo assim, nos despediremos da Rua São Francisco realizando o projeto São Francisco deu pra noix. A programação contempla apresentações de dois espetáculos que nasceram e fizeram temporadas na sede: Os Pálidos (de 26 a 29 de setembro) e O homem Piano – um instalação para a memória ( de 17 a 20 de outubro), sempre as 20hrs. Os ingressos serão distribuídos no sistema "pague quanto quiser" e a arrecadação da bilheteria irá contribuir para as despesas de mudança. 


Programamos também um bazar bota-fora no dia 28 de outubro a partir das 15h com apresentações artísticas de artistas da cidade. Já temos confirmadas as presenças dos músicos Léo Fressato, Luciano Faccini e Melina Mulazani e Tato Criação Cênicas com Emiliano - teatro em miniatura.


Assim finalizamos o processo de despedida da Senhas da Rua São Francisco: festejando, promovendo encontros e agradecendo a todos que estiveram conosco durante o período em que a Companhia esteve sediada neste espaço.




OSPALIDOS FOTO ELENIZE DEZGENISKI
OS PALIDOS (FOTO: ELENIZE DEZGENISKI)

  

SOBRE AS PEÇAS:

OS PÁLIDOS

O espetáculoOs Pálidos foi criado a partir de dois polos: a relação com o espectador (já experimentada em outros trabalhos do grupo) e a reflexão sobre estados de inércia, paralização e anestesia em um ato urgente de pensar o mundo e a cena.  

Os Pálidos tem como ponto de partida dois clássicos de Luis Buñuel: O Anjo Exterminador e O Discreto Chame da Burguesia.

A peça, com texto e direção de Sueli Araujo, acontece em dois ambientes simultaneamente, dividindo a plateia, mas mantendo uma conexão permanente entre os espaços e com "os públicos". Em cena, ao invés de personagens tradicionais, os atores exploram vozes contraditórias, visões de mundo e formas de pensamento e conduta que tentam forjar uma atitude, construir um gesto que faça a diferença no mundo. Porém, são seres paralisados, medicados e em estado de absoluta suspensão. Em dissonância a este estado das coisas, a cena é revestida com diversos tipos de plantas, investindo na possibilidade de percepção da vida para além da quase morte e apatia das figuras da montagem.

Ao mesmo tempo em que o espetáculo aciona um tipo de humor desestabilizante e estabelece pontos de relação com o espectador, cria espaços de discussão sobre criação de condições de sobrevivência e de formas de estar junto. São situações em que um tipo de micropolítica está sugerida.

Em Os pálidos, artistas e público, buscam saídas e entradas em um jogo potente de presença. Trabalha com a ideia de que, segundo Eliane Brum: estamos "Esvaziados de ilusões e de formas, aquele que precisa construir um rosto tem medo. Em vez de disputar democraticamente, o que dá trabalho e envolve perdas, prefere o caminho preguiçoso da adesão. E adere àquele que grita, saliva, vocifera, confundindo oportunismo com força, berro com verdade." É sobre o contexto atual que vivemos e sobre escolhas. 

 

HOMEMPIANO FOTO ELENIZE DEZGENISKI
HOMEMPIANO (FOTO ELENIZE DEZGENISKI)

 

HOMEM PIANO – uma instalação para a memória

Neste espetáculo-instalação, ator e público compartilham o espaço-tempo do aqui e agora e, tecem juntos, a memória de um homem cuja história se constrói a partir de esquecimentos e lembranças coletivas.

 

O trabalho foi iniciado em 2008 no projeto "Narrativas Urbanas – interferências e contaminações", no qual os atores investigavam fatos reais com repercussão na mídia. O ator Luiz Bertazzo pesquisou possibilidades de levar à cena a angústia de um Homem que perdeu a memória, viveu a ausência de identidade e começou a se comunicar com o mundo através do piano.

A pesquisa se transformou em espetáculo contemplado pelo prêmio Myriam Muniz. Em seu formato final, Homem Piano – uma instalação para a memória, propõe a experiência da construção de memórias entre público e ator num espaço/instalação em que teatro, ficção e realidade se misturam. O público é conduzido pelo ator por três andares. No percurso ele é convidado a recordar suas memórias mais felizes ou tristes e se quiser, ao final, poderá doá-las ao personagem.

Neste trabalho a experiência da recuperação das memórias contempla a construção do ontem que reverbera no hoje e nos projeta para o amanhã. No movimento entre lembrar ou esquecer sugerido no trajeto do espetáculo surgem questionamentos e inquietações silenciosas:"Devo lembrar ou esquecer do afeto que me causa saudade, lembrar ou esquecer daquela humilhação inconfessável?". 

 

SERVIÇO

São Francisco deu pra noix

OS PÁLIDOS:

Sede CiaSenhas (Rua São Francisco, 35)

de 26 a 29 de setembro de 2018, às 20h00 

Ingressos: Pague quanto quiser

 

O HOMEM PIANO – UMA INSTALAÇÃO PARA MEMÓRIA

Sede CiaSenhas (Rua São Francisco, 35)

de 17 a 20 de outubro de 2018, às 20h

Ingressos: Pague quanto quiser

 

BAZAR BOTA FOTA 

Sede CiaSenhas (Rua São Francisco, 35)

28 de outubro de 2018, 15h

Entrada Franca

Última atualização em Sex, 28 de Setembro de 2018 15:29
 


Página 1 de 56
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.