“Kids – O Show” chega a Curitiba

                                     The Voice Kids Brasil - TV Globo

“Kids – O Show” chega a Curitiba no próximo mês. O espetáculo reúne oito vozes que participaram do The Voice Kids Brasil, reality da TV Globo, na edição de 2017.

Curitiba é a segunda cidade da Turnê Nacional, que começa no dia 28 de abril, em São Paulo. O musical tem dança, canto e teatro e o roteiro reforça a amizade que se formou entre o grupo.

A idealizadora do projeto foi a cantora amazonense Marcella Bártholo. Ela convidou os outros kids: Brunno Pastori, da Bahia; Melissa Noemy e Luiza Gattai, de São Paulo; Flávia Scanuffo, do Paraná; Luiz Ricardo, do Rio de Janeiro; Laura D´Avila, de Minas Gerais; e Sofia Nunes, de Pernambuco.

No repertório de “Kids - O Show”, as crianças vão fazer um passeio por variados estilos musicais, como rock, pop, sertanejo e gospel. O desejo é de ter uma plateia envolvida em um grande espetáculo, com mais de 30 músicas.

O show é promovido pela Two Talent e Apolo Produções, e tem parceria com Marcelo Germano, do Grupo MGT. Germano é responsável pelo MGT – O Encontro, um evento que reúne talentos de vários Estados do país em um único lugar. O evento é uma janela de oportunidades para crianças, adolescentes e jovens que sonham em ser atores, modelos, cantores, ou trabalhar direta ou indiretamente no mundo artístico. Marcelo Germano vai fazer uma participação especial no musical Kids – O Show.

Na capital paranaense, a anfitriã será a curitibana Flávia Scanuffo, de 12 anos. A participante da segunda temporada do “The Voice Kids” conquistou todos os técnicos nas Audições, com o sucesso "Splish Splash", de Bobby Darin e versão de Erasmo Carlos. Ela escolheu o time de Ivete Sangalo e saiu na fase de batalhas.

Flávia vai repetir a apresentação que o público tanto gostou no reality. Está programada para, entre outras músicas, também apresentar canções de Ivete Sangalo, Roupa Nova e Kell Smith, além de dividir canções com outros kids. A cantora começou a carreira quando tinha oito anos e ama pop.

Em Curitiba, o público, que já está habituado a assistir a peças, espetáculos e musicais, vai ter mais uma oportunidade de matar a saudade do reality show e dos kids.

Serviço

Local: Teatro Positivo

Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido, Curitiba/PR

Data: 06/05/18

Horário: 17h

Preços: Plateia inferior – R$ 140 e R$ 70 meia; Plateia superior – R$ 120 e R$ 60 meia

Venda de ingressos: https://www.diskingressos.com.br/event/7274

Última atualização em Sex, 20 de Abril de 2018 15:37
 

Jovens devem trabalhar por 70 anos

As gerações e o mundo do trabalho foi tema da palestra do especialista Sidnei Oliveira na Amcham-Curitiba nesta semana

 

 

Palestra Sidnei Oliveira Amcham CuritibaPalestra Sidnei Oliveira - Amcham Curitiba

 

A geração na casa dos 30 anos, da chamada “Geração Y” ou “Millenials”, deve ser o grupo que mais tempo estará no mercado de trabalho. E calcula-se que grande parte desses profissionais nunca se aposente. Essa é a opinião do especialista em gerações, autor de diversos livros sobre o tema e fundador da Escola de Mentores, Sidnei Oliveira. Ele esteve na Amcham – Curitiba nesta terça-feira (17/04) para uma palestra sobre o tema. 

 

Fenômenos como o aumento da expectativa de vida, menor número de filhos e o avança da medicina, estendendo o tempo de vida das pessoas, estão impactando diretamente nas perspectivas de trabalho. No Brasil, segundo dados do IBGE, a expectativa de vida passou de 65,8 anos em 1985 para 74,4 anos em 2015. A média de filhos por mulher hoje é de 1,78, contra 3,45 em meados da década de 1980.

 

“A tendência é a expectativa de vida aumentar ainda mais. Daqui a 30 anos, provavelmente chegará a 90 anos. O impacto disso no mundo do trabalho é direto: pessoas que hoje estão se aproximando dos 30 anos, vão trabalhar quase 70 anos em suas vidas. Muitos, provavelmente, nunca irão se aposentar”, analisa Oliveira.

 

Na outra ponta, parte dos profissionais mais experientes estão se dedicando à preparação. No último Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que dá acesso aos cursos superiores, realizado em 2017, 28% dos candidatos tinham mais de 45 anos. “Isso mostra que, além de estarem se preparando para ficar mais tempo na ativa, os “veteranos” dão sinais de que cada vez mais as pessoas terão que dedicar mais tempo à fase do aprendizado para continuar a entender o mundo. É provável que muitas pessoas nunca se aposentem e se reinventem ao longo de sua vida profissional, assumindo diversas carreiras e profissões”, diz.

 

Ambiente de trabalho

Além do impacto generalizado no mercado de trabalho, nas empresas a convivência entre gerações diferentes, com expectativas e experiências distintas, exige preparo dos próprios profissionais. “O mais comum hoje é vermos empresas em que convivem profissionais com 25 anos, em média, e outros na casa dos 40 ou 45 anos”, observa Oliveira.

Segundo ele, neste cenário o ideal é incentivar a competitividade entre esses profissionais, sem o lado predador, para que ocorra aprendizado mútuo. Sidnei Oliveira diz ainda que aos líderes, cabe desenvolver a maturidade dos mais jovens deixando que cometam erros, desde que sem consequências irreversíveis. Aos mais jovens, a recomendação é aprender com os erros e aceitar que, me muitos momentos, é necessário renunciar e saber lidar com eventuais implicações negativas das próprias escolhas. 

 

Sobre a Amcham

A Câmara Americana de Comércio é uma das maiores associações de empresas do Brasil, com 14 filiais em todo o País e mais de cinco mil empresas associadas. O objetivo da Amcham é criar um ambiente favorável de negócios através de boas práticas de mercado, capacitação profissional e cidadania empresarial.

Última atualização em Sex, 20 de Abril de 2018 13:59
 

Palestra gratuita em Curitiba

imagem release 1258994
Eduardo Ferraz - Foto: Divulgação

A Universidade Positivo (UP) recebe, na quarta-feira (25), o consultor Eduardo Ferraz para a palestra "Como formar equipes de alta performance". Com patrocínio do SEBRAE, o evento marca o lançamento do livro "Gente de Resultados", que apresenta um manual prático para formar e liderar equipes enxutas com alto potencial. A palestra será seguida de bate-papo com o autor, mediado pelo jornalista Wilson Soler. O evento é gratuito e aberto ao público, mas é necessário se inscrever pelo site www.up.edu.br/gentederesultados.

A obra

O livro apresenta um manual prático para o gestor que quer obter excelentes resultados na atividade profissional e mostra, de forma objetiva, como formar equipes compactas de altíssimo potencial. A obra está dividida em duas partes: autoconhecimento e análise; e tomadas de decisão e estratégias. Entre os assuntos abordados no livro estão os principais perfis profissionais e o lugar certo para cada um deles, como avaliar os colaboradores e critérios práticos para demitir, promover e treinar.

unnamed
livro "Gente de Resultados" será lançado durante palestra na Universidade Positivo (UP)

Sobre o autor

Eduardo Ferraz tem mais de 30 anos de experiência e cerca de 30 mil horas de prática com consultoria em empresas e treinamentos em gestão de pessoas. É reconhecido por seu consistente embasamento teórico e considerado um dos mais capacitados profissionais em desenvolvimento humano no país. Tem atendido clientes como Banco do Brasil, Bayer, Basf, Bourbon Hotéis, Correios, Dell Anno, Fiat, Livrarias Curitiba, Petrobras, Sadia, Symantec, entre muitos outros. Teve mais de 600 participações recentes na mídia e atualmente é comentarista de vídeos na EXAME.com e colunista nas rádios BandNews Curitiba e Bandeirantes. 

Serviço

Palestra "Como formar equipes de alta performance"

Data: quarta-feira (25)

Horário: 20h

Local: Teatro Positivo - Pequeno Auditório | Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 - Ecoville - Acesso pelo estacionamento 8

Inscrições: www.up.edu.br/gentederesultados

Sobre a Universidade Positivo

A Universidade Positivo concentra, na Educação Superior, a experiência educacional de mais de quatro décadas do Grupo Positivo. A instituição teve origem em 1988 com as Faculdades Positivo, que, dez anos depois, foram transformadas no Centro Universitário Positivo (UnicenP). Em 2008, foi autorizada pelo Ministério da Educação a ser transformada em Universidade. Atualmente, oferece 57 cursos de Graduação presenciais (35 cursos de Bacharelado e Licenciatura e 22 Cursos Superiores de Tecnologia), três programas de Doutorado, quatro programas de Mestrado, centenas de programas de Especialização e MBA e dezenas de programas de Extensão. A UP conta com sete unidades em Curitiba, uma unidade em Londrina (PR), além de polos de Educação à Distância (EAD) em mais de 30 cidades espalhadas pelo Brasil. É considerada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação (MEC), a melhor universidade privada do Paraná, pelo sexto ano consecutivo.

Última atualização em Qui, 19 de Abril de 2018 12:46
 

Carolina Dieckmann volta às campanhas

335604 782241 ateen caroldieckmann 2 web Carolina Dieckman para a campanha Ateen. Foto: Rafael Di Celio

Depois de oito anos afastada das campanhas da AteenCarolina Dieckmann volta para o Verão 2019 da marca de Maria Rita Magalhães Pinto. Desde 2010, Carol não brincava de modelar para a grife carioca: “Mas nunca me desliguei da Ateen. Uso as roupas o tempo todo. Me sinto a embaixadora oficial desde sempre”. No último fim de semana, a atriz arrumou um tempo da nova rotina em Miami para posar para os cliques.

Em papo descontraído, Carol conta que seu guarda-roupa se transforma de acordo com as fases de sua vida. “Acho que a moda serve para inspirar, estimular a mexer no armário... Mas temos sempre que respeitar o nosso gosto, o nosso corpo e o que realmente sentimos vontade de usar”, afirma a atriz. Para ela, uma das partes mais bacanas de estrelar uma campanha é estar em contato com as peças antes que estejam disponíveis.

Perguntada sobre a vida nos Estados Unidos, Carol revela o lado negativo e o positivo de sua decisão: “Não fui morar fora por estar infeliz. Fui porque o meu marido foi transferido e eu quis morar com ele. O ônus é deixar de conviver com as pessoas que eu amo. O bônus é que eu fiz uma opção de investimento na minha família. E tem dado muito certo”.

A coleção chega em julho nas lojas e no e-commerce. Confiram as fotos do making of abaixo.

335604 782240 ateen caroldieckmann 5 web
Carolina Dieckman para a campanha Ateen. Foto: Rafael Di Celio

335604 782242 ateen caroldieckmann 4 web
Carolina Dieckman para a campanha Ateen. Foto: Rafael Di Celio

335604 782546 ateen caroldieckmann 1 web
Carolina Dieckman para a campanha Ateen. Foto: Rafael Di Celio

335604 782239 ateen caroldieckmann 3 web
Carolina Dieckman para a campanha Ateen. Foto: Rafael Di Celio

Última atualização em Qui, 19 de Abril de 2018 12:25
 

Mônica Martelli - Minha Vida em Marte

Após conquistar mais de 2,5 milhões de espectadores com a montagem “Os Homens São de Marte... E é pra lá que eu Vou”, a nova comédia chega a Curitiba e traz a continuação da saga de Fernanda, que agora vive as aventuras de um casamento.

 

02

A atriz Mônica Martelli chega à Curitiba para peça de teatro. Foto - Julia Rodrigues

 

 

A atriz Mônica Martelli estreia em Curitiba no dia 12 de maio, às 21h30 no Guairão, a sua nova comédia: Minha Vida em Marte. O espetáculo, de sua autoria e direção de Susana Garcia, é a continuação do grande sucesso, que também virou filme, Os Homens São de Marte... E é pra Lá que eu Vou”. As vendas já estão abertas no site do DiskIngressos e na Bilheteria do Centro Cultural Teatro Guaira.

 

Em maio de 2017, a comédia Minha Vida em Marte estreou no Rio de Janeiro com sucesso de crítica e público.De lá para cá, a atriz e autora comprovou o fôlego de seu personagem, sempre com sessões esgotadas e direito a fila de espera – foram mais de 50 mil espectadores em nove meses e cinco indicações a prêmios.

 

Minha Vida em Marte é a continuação da saga de Fernanda, personagem que surgiu pela primeira no teatro em 2005, quando Mônica Martelli lançou a comédia Os Homens São de Marte... E é pra Lá que eu Vou sem imaginar o sucesso que a peça protagonizada e escrita por ela alcançaria. Nem tampouco esperava a reviravolta que Fernanda, a personagem que criou para falar de amor e discutir o empoderamento feminino (muito antes da expressão cair no gosto popular) faria em sua trajetória pessoal. A autora, então com 36 anos, viu o espetáculo tornar-se um sucesso sem precedentes ao alcançar mais de 2,5 milhões de espectadores e dar origem a um longa homônimo – que arrastou mais de 2 milhões pessoas para os cinemas – e a uma série televisiva com o mesmo título que já está em sua terceira temporada no GNT, sendo uma das maiores audiências do canal.

 

Doze anos depois, aos 48 anos, Mônica repete o sucesso de sua peça precursora. Minha Vida em Marte, dirigida pela irmã Susana Garcia, traz de volta Fernanda, agora com 45 anos, à procura de respostas para a sobrevivência conjugal. “Demorei para fazer esta peça porque sei que só é possível falar com propriedade sobre um assunto quando se consegue olhar para ele com distanciamento”, resume a autora que, tal qual sua personagem, conhece a fundo a dor da separação. Tendo como suporte suas próprias experiências, Monica leva ao teatro um monólogo bem-humorado que aproxima através do riso e leva homens e mulheres à reflexão. E assim a atriz se confirma como uma das autoras brasileiras que melhor traduzem o comportamento feminino moderno.

 

O enredo de Minha Vida em Marte

Se Em Os Homens São de Marte... Fernanda estava em busca do amor, em Minha Vida em Marte a personagem agora está casada há oito anos com Tom, com quem ela teve uma menina de 5 anos: Joana. Este é o pano de fundo para a protagonista se questionar na terapia de grupo. É nas sessões de análise que ela narra e vivencia deliciosamente as alegrias e os muitos problemas do seu casamento. Ali ela expõem assuntos íntimos, como por exemplo a falta de tesão, ou as tentativas de “trabalhar a relação”, e percebe que nas relações estagnadas, adia-se o afeto e acumula-se mágoas. “É muito comum no casamento que a gente deixe para amanhã a ternura, o sexo e a tolerância. E quando percebemos, a família que tanto sonhamos está por um fio”, revela Mônica sobre o destino de Fernanda.

 

 

Fernanda será capaz de superar a crise ou será preciso se separar? Vale a pena enfrentar a solidão? São questões que sob a ótica de uma mulher bem-sucedida vão permear essa história que toca ainda em temas como traição, machismo, trabalho duplo da mulher e educação dos filhos. Minha Vida em Marte é um texto libertador que foi escrito sob a premissa de que ser feliz é fundamental.

 

foto Guga Melgar 6 preview
Mônica Martelli em Minha Vida em Marte - Foto: Guga Melgar 

 

foto Guga Melgar 9 preview

Mônica Martelli em Minha Vida em Marte - Foto: Guga Melgar 

 

foto Guga Melgar 5 preview

Mônica Martelli em Minha Vida em Marte - Foto: Guga Melgar 

 

foto Guga Melgar 8 preview

Mônica Martelli em Minha Vida em Marte - Foto: Guga Melgar 

 

Mônica Martelli, a autora que melhor interpreta sua criação

A atriz carioca é a criadora e intérprete de Os Homens São de Marte... E é pra Lá que eu Vou, montagem que em 12 anos foi vista por mais de 2,5 milhões de espectadores, passou por 40 cidades em 20 estados brasileiros – além de Portugal – e tornou-se um dos mais longevos sucessos de público do gênero no país. O monólogo foi um verdadeiro fenômeno teatral e deu origem a uma série que está em sua terceira temporada no canal GNT. E a um filme codirigido por Susana Garcia que levou aos cinemas dois milhões de pessoas em 2014. Para dezembro de 2018 é previsto a estreia de Os Homens São de Marte... E é pra Lá que eu Vou 2, com ela e o ator Paulo Gustavo.

 

Mônica é vista ainda, há cinco anos, como uma das apresentadoras do programa Saia Justa, no canal GNT. Participou de novelas globais como Beleza Pura e TITITI, integrou o elenco do seriado Mandrake, da HBO, e de filmes como Trair e Coçar e Só Começar, entre outros.

 

JFR mmartelli 021 preview

Mônica Martelli - Foto: Julia Rodrigues

 

JFR mmartelli 004 preview

Mônica Martelli - Foto: Julia Rodrigues

 

JFR mmartelli 012 preview

Mônica Martelli - Foto: Julia Rodrigues

 

JFR mmartelli 020 preview

Mônica Martelli - Foto: Julia Rodrigues

 

 

Susana Garcia, a diretora por trás do sucesso

Susana Garcia é a diretora do espetáculo Minha Vida em Marte e irmã de Monica Martelli. Essa parceria profissional começou na codireção do filme Os Homens São de Marte..., continuou durante as 3 temporadas da série do GNT que Susana dirigiu e agora completa um ciclo artístico no teatro. Sua carreira teve início como codiretora no espetáculo La Barca d’América. Logo depois seria ovacionada em sua estreia na direção, ao lado do marido Herson Capri, em Eu Sou Minha Própria Mulher – a dobradinha de sucesso seria repetida com Capri no infantil A Casa da Madrinha. Sua assinatura está ainda em outros trabalhos como Conversando Com Mamãe, Querida Mamãe e A Fada Que Tinha Ideias.

 

 

Ficha Técnica

Texto e interpretação de Mônica Martelli

Direção de Susana Garcia

Cenografia de Flávio Graff

Figurino de Marcella Virzi

Iluminação de Maneco Quinderé

Direção de Movimento de Marcia Rubin

Direção de produção de Herson Capri

Produção de Capri Produções

Assessoria de Imprensa de Antonio Trigo

 

Serviço

Teatro – Guairão (Centro Cultural Teatro Guaira)

Endereço – Rua XV de Novembro, 971

Data: 12 de maio

Horário: 21h30

 

Preços:

Plateia: R$ 110,00 a R$ 120,00 (inteira)
Balcão 1 – R$ 80,00 (inteira)
Balcão 2 – R$ 60,00 (inteira)
+ taxa de R$ 6,00 do Diskingressos

Informações bilheteria (DiskIngressos): 3315 0808

Vendas online: https://www.diskingressos.com.br/event/monica_martelli_em_minha_vida_em_marte

Última atualização em Qui, 19 de Abril de 2018 11:51
 

Brigar por dinheiro vale a pena?

Quando falamos de finanças para casais, é importante cuidado para evitar brigas, o que é muito comum. Hoje em minhas consultorias percebo que para grande parte dos casais ocorre o desconhecimento do valor do salário do companheiro ou mesmo de como esses gasta tais valores. 

 

Essa informação é bastante preocupante, já que demonstra uma grande possibilidade de problemas relacionados ao dinheiro no futuro. Isso porque, a primeira dica em relação ao tratamento do dinheiro do casal é sempre muito diálogo, mas isso também não ocorre.

 

Mas, qual a saída? O mais adequado é construir um orçamento familiar baseados nos sonhos e objetivos da família. Também é muito importante que ocorra o quanto antes a definição de regras financeiras a serem seguidas, como quem paga o quê. Contudo, essas regras devem ser alvos de constantes reavaliações.

 

Para o casal, algumas questões se mostram fundamentais, como a questão de como dará a divisão das contas. É possível ter uma conta conjunta para que esses compromissos sejam pagos. Porém, acredito que seja interessante avaliar a possibilidade de cada um ter sua conta corrente, definindo os limites, pois cada um pode ter seus próprios gastos.

 

Já, quando o assunto é investimento, esse deve ser feito em conjunto, pois, assim, se poupa mais dinheiro e obtém melhores resultados. Só tratando de forma diferenciada a questão da aposentadoria, já que esse investimento deve ser separado para cada um, lembrando que, quem não construir sua aposentadoria, um dia, terá que pedir dinheiro para alguém, certo?  

 

O segredo, então, é colocar tudo na mesa, nunca esquecendo que o assunto mais importante a ser conversado não são as despesas, e sim os sonhos e desejos individuais e coletivos. É muito comum os sonhos serem deixados de lado, mas, acredite, esse é um erro capital de milhões de casais.

É importante estar atento, colocando sempre, no mínimo, três sonhos – curto (até um ano), médio (de um a dez) e longo prazo (acima de dez anos) –, todos acompanhados de informações básicas, como quanto custa e quanto será guardado mensalmente. Caso contrário, não serão sonhos, e sim verdadeiros pesadelos para os casais, podendo "esfriar o relacionamento".

Dinheiro e amor combinam? 

 
É preciso reforçar que, mesmo tendo contas separadas, quando se opta pelo casamento, é preciso não discriminar quem ganha mais ou menos. Trata-se de uma família e, neste caso, a receita deve ser pensada e somada para todos que dela participam. Assim, se deve definir um limite de gasto para cada um e fazer com que ele seja respeitado. Caso isso não ocorra, deverá ser motivo de diálogo.

Veja algumas orientações:

1.    Recomendo reuniões frequentes entre o casal para debater as finanças, porém, diferente do que ocorre frequentemente, esse não deve ser um momento apenas de tensão, mas sim de projeção;


2.    Estabeleçam sempre sonhos de curto, médio e longo prazos, lembrando que se deve ter objetivos coletivos e individuais;


3.    Um ponto que geralmente é foco de divergências é o padrão de vida que ocasal leva, assim, faça um diagnóstico financeiro e, com os números reais da vida financeira, ajuste o padrão dentro dessa lógica;


4.    Outro motivo de briga é o fato de um dos parceiros ser mais acomodado. É importante entender que cada um possui um estilo, assim, recomendo a busca de um meio termo, com regras bem estabelecidas e não ficar batendo sempre na mesma tecla;


5.    O ponto fundamental é que, quando só um dos parceiros trabalha externo, também deve se ter a preocupação com a vida financeira em longo prazo, no caso aposentadoria;


6.    Caso tenham filhos, é preciso inclui-los na conversa sobre dinheiro e, mais do que isso, também devem chegar a um acordo sobre como será a educação deles em relação às finanças;


7.    Se um dos parceiros fez alguma ação errada em relação ao dinheiro, lógico que haverá um nervosismo inicial, por isso, tente deixar o debate para um momento no qual já conseguiu se acalmar um pouco e refletir sobre o ocorrido. Contudo, não finja que nada ocorreu, guardar pode causar "estouros" futuros;


8.    Lembrem-se, é nas dificuldades que vemos com quem realmente podemos contar. Assim, em caso de crise financeira, em vez do distanciamento, o ideal é buscar estar mais perto de quem gostamos.

Reinaldo Domingos, educador financeiro, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), autor dos livros Terapia Financeira, Mesada não é só dinheiro, Eu mereço ter dinheiro, Livre-se das Dívidas, Ter Dinheiro Não Tem Segredo, das coleções infantis O Menino do Dinheiro e O Menino e o Dinheiro, além da coleção didática de educação financeira para o Ensino Básico, adotada em diversas escolas do país.

Última atualização em Qui, 19 de Abril de 2018 12:00
 


Página 1 de 137
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.