Como escolher espumantes

Deisi da Costa foto divulgacao 2
Sommelière mostra que é possível encontrar bebidas brasileiras com ótimo custo e benefício nas gôndolas de grandes lojas

 

 

O consumidor que vai comprar espumante em grandes supermercados, onde geralmente não há um profissional especializado à disposição, muitas vezes acaba em dúvida sobre qual produto escolher degustar com os convidados. São rótulos de inúmeras nacionalidades, preços e variedades, mas é possível encontrar ótimos espumantes brasileiros com excelente custo e benefício – um para cada paladar.
 
Para tornar a escolha mais assertiva, nada melhor do que contar com dicas de quem entende do assunto. A sommelière gaúcha Deisi da Costa, que está no mundo dos vinhos desde 2013 e soma experiências em países como Irlanda, Inglaterra e Nova Zelândia, se assume fã dos produtos nacionais e compartilha algumas dicas infalíveis para adquirir e consumir espumantes:
 
GARRAFAS NA VERTICAL NÃO PREJUDICAM A QUALIDADE DA BEBIDA
Nas gôndolas de supermercados, os espumantes sempre estão posicionados na vertical – e é melhor assim, para que a rolha não fique molhada e úmida. Se isso acontecer, ela perde sua elasticidade e, quando abrirmos o espumante, vamos perceber isso nitidamente, porque ela estará murcha. Portanto, os consumidores podem comprar as bebidas na posição vertical sem medo. Quem for guardar a garrafa em casa pode mantê-la em pé, mas o melhor é não perder tempo para apreciar.
 
ESCOLHA DE ACORDO COM SEU PALADAR
Quando se trata de escolher espumantes em supermercados, onde geralmente não há orientação de um profissional, o primeiro passo é procurar pelas variedades que mais agradam o seu paladar. Para quem gosta de vinho seco, a dica é procurar pelos termos Brut, Extra Brut e Nature. Já para os amantes de bebida doce, os espumantes indicados são Moscatel ou Demi-Sec.
 
Outro fato importante é: se você gosta de espumante leve e refrescante, tente achar no rótulo ou contra-rótulo o termo “Método Charmat”, que produz um vinho com características jovens e frescas. Já para os apreciadores de espumante estruturado e complexo, melhor escolher um rótulo que informe “Método Tradicional” ou “Champenoise” – com certeza uma bebida mais ‘cremosa’ e com complexidade maior, podendo trazer uma experiência mais intensa.
 
NA DÚVIDA, PREFIRA ESPUMANTES JOVENS
Verificar a safra do espumante é super importante. Para quem vai adquirir a bebida sozinho e quer garantir uma boa experiência, o ideal é não arriscar safras muito antigas, ou seja, sempre que possível, escolha o vinho mais novo (se for safrado, constará no rótulo). A menos que você vá a uma loja especializada e tenha atendimento orientado para tirar dúvidas e entender melhor o produto. “Na minha opinião, espumante é parecido com pão de queijo: talvez amanhã ainda esteja bom, pois tem estrutura, mas por que arriscar? Consuma o quanto antes e brinde a vida”, brinca Deisi.

 

Cooperativa Vinicola Garibaldi brinda os bons resultados foto Cassius Andre Fanti


 
PRODUTOS PREMIADOS PASSAM CONFIANÇA
Os vinhos e espumantes brasileiros vêm ganhando importantes premiações internacionais a cada mês que passa. São diversos rótulos com destaques vindos de países como Argentina, Chile, Inglaterra, Espanha e França – berço do champanhe. Por isso, é interessante optar por produtos com várias medalhas, pois funcionam como um guia para o consumidor diante de tantos espumantes nas prateleiras. Não que os produtos sem medalhas não sejam bons, afinal pode ser uma decisão da vinícola não participar de concursos, mas esses selos certamente auxiliam o consumidor final em meio às gôndolas de grandes supermercados.
 
Dica: o espumante Garibaldi Moscatel, da Cooperativa Vinícola Garibaldi, apresenta ótimo custo e benefício para quem busca uma bebida premiada e com preço acessível. Entre as distinções recebidas estão o título de Melhor Espumante do Cone Sul concedido pelo Catad'Or Wine Awards, um dos concursos mais importantes da América Latina, e a medalha de Prata no francês Effervescents Du monde. Preço médio: R$ 36,10.
 
SIRVA NA MEDIDA CERTA
Uma dúvida bastante comum entre os consumidores é em relação ao volume de bebida que deve ser comprado para as festas de final de ano. Por isso, separamos um consumo médio em duas situações: apenas para o brinde e para beber durante todo o evento (entradas, refeição principal, brinde e sobremesas).
 
Se você deseja oferecer espumante aos convidados apenas para brindar o momento, é elegante servir cerca de 70 ml por pessoa (uma taça não completamente cheia). Isso resulta em uma garrafa a cada 10 pessoas, ou uma garrafa a cada 7 pessoas – caso os convidados sejam bons de taça. Mas se a ideia é organizar uma festa regada a espumante, calcule uma garrafa para cada duas pessoas.
 
DEGUSTE NA TEMPERATURA IDEAL
Servir o espumante na temperatura certa é um dos principais fatores para garantir que a degustação do produto seja perfeita – isso porque, se muito gelado, fechar demais os aromas e sabores, comprometendo a elegância da bebida. Nesse sentido, espumantes leves e jovens merecem ser gelados no refrigerador entre 2ºC e 3ºC, pois até chegar à taça a temperatura aumenta um pouco. Já os espumantes mais estruturados merecem uns graus a mais, justamente para mostrar sua estrutura mais complexa, então mantenha perto de 6ºC, refrigerado na geladeira. Na dúvida, sirva sempre gelado a 2ºC.
 
ESPUMANTES PARA TODOS OS PALADARES
Moscatel
Eleito o Melhor Espumante do Cone Sul pelo concurso chileno Catad'Or Wine Awards, o espumante Garibaldi Moscatel é uma bebida que expressa tropicalidade e quebra todos os paradigmas acerca dessa variedade – pois é doce, refrescante e de baixa graduação alcoólica. Combina com frutas frescas ou em calda, sorvetes e bolos. Preço médio: R$ 36,10.
 
Demi-Sec Rosé
Lançamento da Cooperativa Vinícola Garibaldi, o espumante Garibaldi Vero Demi-Sec Rosé conquista os paladares pelo equilíbrio de sabores em sua composição. Elaborada com uvas Cabernet Sauvignon e Merlot pelo método Charmat, a bebida se destaca por sua jovialidade, refrescância e notas aromáticas frutadas – versátil e perfeita para ser apreciada desde o happy hour até a sobremesa. Preço médio: R$ 27,20.

Extra Brut
Elaborado pelo método Charmat longo, o Garibaldi VG Extra Brut denota coloração amarelo palha com reflexos esverdeados, aspecto brilhante e ótima formação de perlage (borbulhas). A bebida, que integra a linha Premium da Cooperativa Vinícola Garibaldi, conta com notas aromáticas de abacaxi, baunilha e um delicado toque de pão tostado, além de paladar estruturado e cremoso, com acidez equilibrada e refrescante. O VG Extra Brut combina com frutos do mar, patês, carne vermelha, aperitivos, peixes e queijos. Preço médio: R$ 65.

Última atualização em Seg, 26 de Novembro de 2018 15:02
 

Ressaca do sono? Cuidados com o corpo

476156b3ed6a876cee7b88fb6662f703 medium

Com a rotina corrida e os horários agitados, muitas pessoas aproveitaram o feriado prolongado ou o fim de semana para descansar e colocar o sono em dia. Mas, é possível recuperar horas de sono perdidas? Um estudo realizado pela Faculdade de Medicina Penn State, nos Estado Unidos, aponta que não, e a tentativa pode até diminuir a sonolência do indivíduo, mas não é capaz de melhorar o desempenho cognitivo, como a memória, atenção e raciocínio.

O corpo acumula o cansaço e a falta de sono, mas não consegue se recuperar em apenas alguns dias. Para isso, o organismo deveria ignorar os ciclos circadianos, responsável por ajustar as funções fisiológicas no período de 24 horas, aproximadamente, de acordo com os períodos do dia e da noite. Mesmo que seja possível dormir por mais tempo, esses ciclos estão ativos, impedindo o descanso completo do corpo e resultando numa “ressaca do sono”.

A Consultora do Sono da Duoflex, Renata Federighi, explica que a “ressaca do sono” pode causar dores de cabeça, má disposição, sonolência excessiva, olhos vermelhos e dores musculares. “Tentar repor essas horas em poucos dias pode desregular nosso relógio biológico e, a longo prazo, prejudicar o organismo e causar distúrbios do sono. O ideal é manter sempre uma rotina de descanso regular”, esclarece.

A recuperação do sono deve ser feita de forma gradual e a longo prazo para restaurar o padrão natural. A especialista dá algumas dicas para um sono de qualidade e para que ocorra um reparo correto das funções do organismo. “É importante se atentar à postura, usar um travesseiro que ofereça conforto e sustentação para a cabeça e que alinhe a coluna, manter o ambiente arejado e o mais silencioso e escuro possível, alimentar-se de forma leve e saudável e evitar atividades estimulantes antes de dormir”, finaliza a consultora do sono da Duoflex.


Sobre a Duoflex
Empresa 100% nacional e referência mundial em tecnologia do sono, a Duoflex está presente há mais 25 anos no mercado, totalmente focada na produção de travesseiros de espumas especiais de alta qualidade e performance, voltados para a saúde e o bem-estar de seus usuários. Lançou, com exclusividade no Brasil, a espuma especial viscoelástica NASA, além de ter sido a primeira empresa da América do Sul a fabricar travesseiros de látex natural, extraído da seringueira
. Dentre os diversos modelos, desenvolveu e patenteou o mais avançado sistema de molas em travesseiros, o Spring Case, que garante conforto e sustentação ideais para o sono. Criou também o inovador travesseiro Altura Regulável, o original e refrescante travesseiro GELFLEX NASA e o recém lançado travesseiro BEAUTY FACE, que ameniza a formação de rugas durante o sono, reforçando assim sua imagem como empresa inovadora. Site: www.duoflex.com.br

Última atualização em Seg, 26 de Novembro de 2018 14:53
 

Confira a Programação do Sesc Geek

post7 1200x628px Geek capa 2

Evento da cultura geek acontece neste final de semana Sesc da Esquina (Foto: Divulgação)

Nos dias 1° e 2 de dezembro o Sesc da Esquina promove a primeira edição do Sesc Geek. Um evento com diversas atrações do universo nerd e da cultura pop. Entre elas: oficinas, palestras, exposições, jogos, feira de artigos, balada e desfile de cosplay.
“A cultura Geek é uma tendência, as pessoas estão cada vez mais envolvidas e buscando novas tecnologias como prática de lazer. Eventos para este segmento se tornaram uma grande oportunidade, porque atendem aos anseios do público que busca incansavelmente as novidades que o mercado têm a oferecer”, destaca Carlos Alberto Holdefer, analista da Gerência de Esporte e Lazer do Sesc PR.
O Sesc Geek acontece das 13h às 19h. A entrada é gratuita, mas para participar das atividades é preciso adquirir passaporte de acesso que será disponibilizado no dia a R$ 5,00 para trabalhadores do comércio e seus dependentes, e R$ 10,00 para o público geral. Este evento também faz parte do portfolio de ações do setor de Recreação do Departamento Nacional do Sesc.

Confira a programação do Sesc Geek no Sesc da Esquina:

Em ambos os dias, a partir das 13h, haverá:
OPEN GEEK (Tenda de Atividades)
OFICINA DE CRIAÇÃO DE JOGOS (Realização: Senac)
PALESTRA MUNDO DOS GAMES (Realização: Senac)
JOGOS DE REALIDADE VIRTUAL (Realização: Senac)
* DEMONSTRAÇÃO DE IMPRESSORA 3D (Realização: Senac)
JOGOS DE TABULEIRO
JOGOS DE RPG
ESPAÇO GAMES
OFICINA DE JOGOS DE TABULEIRO
* ESPAÇO ZEN

Sábado, 01/12:
* BALADA GEEK
* MOSTRA DE CINEMA – FICÇÃO CIENTÍFICA
(Filmes: A Ameaça que veio do Espaço; Eles Vivem e Planeta dos Vampiros)

PEÇA DE TEATRO: A Macabra Biblioteca do Dr. Lucchetti
Ingressos: R$ 30,00 Inteira / R$ 15,00 Meia / R$ 10,00 Trabalhadores do Comércio
Vendas no SAC da Unidade ou 1 hora antes do início do espetáculo, na bilheteria do Teatro. 
Classificação indicativa: 12 anos

Domingo, 02/12:
* CONCURSO DE COSPLAY

As atividades identificadas com * são livres, sem necessidades de apresentação de passaporte de atividades.

SERVIÇO
Sesc Geek
Dia: 01 e 02 de dezembro – Das 13 às 19h
Sesc da Esquina – Rua Visconde do rio Branco, 969
Entrada Franca
Passaporte: R$ 5,00 trabalhadores do comércio e seus dependentes e R$ 10,00 público geral

Última atualização em Seg, 26 de Novembro de 2018 14:36
 

Mueller Ecodesing Social

IMG 1363

Ambientes foram transformados por 70 profissionais - arquitetos, designer e paisagistas. Ricardo Targa Stramandinoli, Rafaela Targa Stramandinoli e Maicon Rodolfo Hamm (Crédito: Kelly Knevels)

 


As 30 crianças que moram no Lar Infantil Sol Amigo (Lisa) receberam, nesta terça-feira (20), as casas revitalizadas pelo projeto Mueller Ecodesign Social. Foram 585m² com 35 ambientes transformados deixando os espaços mais lúdicos, interativos e aconchegantes. A cerimônia de entrega contou com a participação de mais de 300 pessoas, dentre elas arquitetos, representantes de empresas parceiras e os moradores do Lar.

O projeto escolheu a entidade por meio de votação popular, realizada em março deste ano. O espaço conta com três casas, um ambiente de convivência e jardim que foram reformados por 70 profissionais - arquitetos, designers, paisagistas e outros parceiros de 34 escritórios.

Segundo a presidente do Lar, Marta Ortiz, o projeto e os arquitetos demonstraram muita sensibilidade com as crianças. “Nós jamais teríamos a possibilidade de realizar as transformações que foram realizadas pelo projeto. Tudo foi acompanhado passo a passo e atentando-se aos detalhes que são muito peculiares do acolhimento das crianças”, agradece Marta. Além de abrigar os 30 jovens entre zero e 18 anos, moram, ainda, no Lisa, mais seis responsáveis e a instituição recebe diariamente voluntários. 

Em todas as edições, o projeto foi coordenado pela arquiteta Rose Guazzi, especialista em arquitetura sustentável, que destaca o uso de, pelo menos, três sistemas com produtos reutilizados. “O pilar do projeto é o desenvolvimento sustentável, por isso foram reutilizados produtos como tecido, PVC e garrafa pet. Além disso, o banheiro contou com um sistema de controle de eficiência, que mostra a quantidade da água usada”, acrescenta.

Esta é a 5º edição do projeto voltado para a assistência social e o 11º ano do Mueller Ecodesign.A superintendente do Shopping Mueller, Daniela Baruch, relata que o projeto já recebeu prêmios nacionais e internacionais, como o prêmio Abrasce, maior reconhecimento nacional do segmento de shoppings, por proporcionar uma transformação física e social em instituições. “Ao tornar-se um projeto social, conseguimos devolver um pouco para a sociedade do que ela nos proporcionou nos 35 anos de shopping. E o melhor, com a ajuda de pessoas e empresas que queriam colaborar e fazer a diferença na vida das crianças” acrescenta.

Arquitetos parceiros da obra
Participaram do projeto: Carolene Coimbra; Fábio Aguiar; Beth Egas; Mariana Savi; Sabrina Serta; Tainah Paiva; Viviane Busch; Keila Kinder; Fernanda Viero; Jane Rocha; Suzane Simon; Marli Manfroi Faust; Ivangela Curra; Carla Saad; Fabiana Cristina Campos; Zeh Pantarolli; Diego Miranda; Mônica Floreste; Rafael  Cozikizky; Ivana Guimarães; Simone Weber; Elizane  Souza; Daniela Martins; Vinicius Trevisan; Gisele Ramos; Helaine Goes Pinterich; Xênia Sperandio; Symon Hilgemberg; André Panatto; Rodrigo Garcia; Jaqueline Siebert; Vanessa Mayer, Lyse França; Clarice Volpi; Simone Volpi Zoller; Daniel Casagrande; Luiz Maganhoto; Olga Bergamini; Karin Neitzke; Arianne Ribeiro; Berenice Veiga Ribeiro; Mônica Moro Harger; Fernanda Morishita; Sandro Percicotti; Andréa Benthien; Silvia Ferreira; Claudia  Sovierzoski; Paula Santos Segalla; Renato Sabadin; Liamara Zardo Selbach; Tiago de Oliveira Alves; Carla Armstrong; Juliana Lahoz; Leonardo Hauer; Cleverson Tramujas; Ricardo Targa Stramandinoli; Maicon Rodolfo Hamm; Rafaela Targa Stramandinoli; Nadia Bentz; Vanderlan Farias; Priscila Mileke; Ana Crivellaro, Laryssa Rocha, Katia Faust, Frederico Pipa, Fernanda Rodrigues, Gabriel Assad, Luan Henrrique Rechetelo dos Santos, Rose Guazzi e Marcelo Calixto. Também participaram do projeto os alunos do Centro de Educação Profissional de Design, Artes e Profissões (CEPDAP): Graziela Almeida, Nilmara Parra, Reginaldo Pampuche Pepplow, Rafael Schmuker e Tania Maria Fonseca Salgado. O CEPDAP é parceiro educacional da edição 2018 do Projeto Mueller Ecodesign Social.  Além dos arquitetos e alunos, outras 374 empresas apoiaram a revitalização do Lar.

 .

A história do Projeto Mueller Ecodesign Social

Construído a partir da Mostra Mueller Ecodesign, iniciada em 2008, que durante seis anos projetou ambientes assinados por profissionais de arquitetura e design de interiores, o Projeto Mueller Ecodesign Social surgiu através do mesmo pilar: a sustentabilidade. A principal proposta, quando foi criado o projeto, era de levar a exposição do Shopping Mueller para espaços reais, amparando diretamente o público. Em todas as edições, a proposta sempre foi a mesma: a de alcançar os jovens, beneficiando-os diretamente com as melhorias realizadas no local onde frequentam.

Em sua primeira edição, em 2014, o projeto atendeu a Casa do Piá 1, já a segunda edição, em 2015, contemplou a Casa das Meninas do Novo Mundo. A terceira edição do projeto, reformou o Portal do Futuro do Bairro Novo, e a quarta edição revitalizou o Lar Batista Esperança, as quatro instituições curitibanas. Na edição de 2018, os coordenadores técnicos convidados pelo Shopping Mueller, continuam sendo a arquiteta Rose Guazzi e o arquiteto e paisagista Marcelo Calixto.

SERVIÇO:
Projeto Mueller Ecodesign Social 2018
Informações: 
www.shoppingmueller.com.br
Facebook
http://www.facebook.com/MuellerCtba
Twitter
http://twitter.com/muellercwb
Instagram:
 @muellercwb

Última atualização em Seg, 26 de Novembro de 2018 14:30
 

Clima de Natal invade o Menu Musical

1543247802

O Menu Musical, projeto do Shopping Curitiba, entra no clima de Natal durante o mês de dezembro. Desta vez, as pianistas, que se apresentam de forma gratuita, adaptam seus repertórios com a magia natalina.

Elizabeth Rech comanda o piano aos sábados e domingos, das 13h às 15h. Já Cida Maria Cardoso embala o Largo Curitiba (piso L2) nas quintas-feiras, sextas-feiras e sábados, das 19h às 21h.

Menu Musical do Shopping Curitiba

Pianistas: Elizabeth Rech e Cida Maria Cardoso

Quando: durante o mês de dezembro, de quinta-feira a domingo.

Quanto: gratuito.

Horário: sábado e domingo, das 13h às 15h; quintas, sextas-feiras e sábados, das 19h às 21h.

Aberto ao público.

Onde: Largo Curitiba (piso L2).

Shopping Curitiba

Rua Brigadeiro Franco, 2.300.

Curitiba (PR)

(41) 3026-1000 | www.shoppingcuritiba.com.br

@ShoppingCtba | www.facebook.com/ ShoppingCuritiba

Última atualização em Seg, 26 de Novembro de 2018 14:16
 

Cirurgia Plástica nas Pálpebras: o que saber

79e5ca91e0d6ab4e60a0d325f297e8fb 640 427

A blefaroplastia é uma das cirurgias mais procuradas hoje para melhorar o rejuvenescimento facial (Foto: Google Imagens)

 

A blefaroplastia, popularmente chamada de cirurgia plástica nas pálpebras, se tornou um dos procedimentos estéticos mais realizados no Brasil. Com técnicas cada vez mais avançadas, a blefaroplastia pode ter vários objetivos, desde retirar o excesso de pele das pálpebras superiores, como também remover bolsas de gordura das pálpebras inferiores.
 
Segundo a 
oftalmologista e oculoplasta, Dra. Tatiana Nahas, Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo, houve uma mudança importante em relação aos procedimentos estéticos que visam ao rejuvenescimento facial. O processo natural do envelhecimento, que começa por volta dos 25 anos, é mais aparente no rosto e, especialmente, nos olhos. Isso porque a pele das pálpebras é a mais fina do corpo humano

“Além da questão da flacidez, que pode levar ao excesso de pele ou à queda das pálpebras, muitas pessoas desenvolvem bolsas de gordura nas pálpebras inferiores. Com isso, o aspecto facial fica mais envelhecido e cansado. E isso pode acontecer em pessoas jovens, dependendo do tipo de pele, de fatores genéticos e ambientais”, explica Dra. Tatiana.
 

Aposta no rejuvenescimento facial
Por isso, nos últimos anos, muitas pessoas estão investindo em tratamentos que melhorem a aparência facial, uma vez que o rosto é o cartão de visitas. “Um dos procedimentos mais procurados é, sem dúvida, a blefaroplastia”, confirma a especialista.
 

Blefaroplastia deve ser feita em centro cirúrgico
Segundo Dra. Tatiana, a blefaroplastia deve ser realizada em um centro cirúrgico. “A anestesia mais usada é a local, com sedação leve. Assim, o paciente dorme enquanto o procedimento é feito. Normalmente, o paciente ficará internado por 12 horas e, após avaliação do cirurgião, poderá ir para casa no mesmo dia”.
 
Quanto às técnicas usadas, a especialista explica que vai depender do objetivo da cirurgia. “Nas pálpebras superiores, em geral, o objetivo é remover o excesso de pele. Graças ao sulco natural das pálpebras superiores, a cicatriz fica imperceptível e a remoção é feita nos dois lados, na mesma cirurgia”, cita Dra. Tatiana.
 
Já nas pálpebras inferiores, é possível tanto remover as bolsas de gordura, quanto o excesso de pele.

“É um procedimento mais complexo, cuja técnica mais utilizada hoje é a transconjuntival. A incisão é feita por dentro das pálpebras para não produzir cicatrizes na pele. Além disso, essa técnica permite remover as bolsas de gordura sem agredir a pele, a musculatura orbicular e o septo orbital. Porém, nem todas as pessoas serão candidatas à técnica transconjuntival, recomendada para quem tem menos excesso de pele”, ressalta a médica.
 

Recuperação
Uma das perguntas mais frequentes é sobre a dor no pós-operatório. Embora a resposta à dor seja individual, em geral, o paciente não sente dor, apenas um leve desconforto, que pode ser aliviado com uso de analgésicos prescritos pelo cirurgião. Uma dica importante é fazer compressas geladas para melhorar o inchaço.

O que pode acontecer é a visão ficar embaçada nos primeiros dias, devido ao inchaço, colírios e pomadas que são prescritos. Além do inchaço, é comum a equimose, ou seja, hematomas na região operada. Mas ambas  são reações esperadas, com ótima evolução nas duas semanas seguintes à cirurgia”, ressalta Dra. Tatiana. 
 

Retomada das atividades diárias
Em geral, o paciente pode retomar suas atividades rotineiras, como trabalhar, dirigir e estudar, por exemplo, uma semana depois da cirurgia. “Há algumas restrições nos primeiros dias, mas o repouso é relativo, ou seja, recomendamos que o paciente tire o pé do acelerador na primeira semana. Depois disso, pode retornar ao trabalho, dirigir, cozinhar, ou seja, vida normal”, comenta Dra. Tatiana.
 

Cuidado com o sol
“É importante ressaltar que é preciso evitar tomar sol, assim como é preciso usar protetor solar na região dos olhos por três meses. Outra restrição é evitar atividades aquáticas por 30 dias. No caso das mulheres, é preciso esperar cerca de duas semanas para usar maquiagem na região dos olhos, embora os corretivos podem ser usados desde o primeiro dia, para ajudar a disfarçar os hematomas”, diz a médica. 
 

Resultado definitivo
Segundo Dra. Tatiana, cada pessoa responde à cirurgia de uma maneira. “Mas, em geral, quando o inchaço e os hematomas desaparecem, já é possível avaliar o resultado. Entretanto, a aparência definitiva da blefaroplastia pode ser vista entre três e seis meses após a cirurgia”.
 

Procure um profissional especializado
Para um resultado mais natural possível, é importante procurar um médico cirurgião, com conhecimento profundo sobre a dinâmica palpebral e as necessidades de proteção das estruturas oculares, como os oftalmologistas especializados em cirurgia de pálpebra, também chamados de oculoplastas.
Última atualização em Seg, 26 de Novembro de 2018 14:07
 


Página 5 de 160
Copyright © 2011 Acontece Curitiba. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por LinkWell.